A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Setembro de 2019

09/09/2019 11:01

Suspeito alega embriaguez e diz não se lembrar de ter assassinado açougueiro

Justiça manteve a prisão de Vagner Barbosa, que chegou atirando em clientes de espetinho, atingindo homem na cabeça

Silvia Frias
Vítima foi atingida com tiro na cabeça; no local, marcas de sangue na cadeira onde Alziro estava sentado (Foto: Marina Pacheco)Vítima foi atingida com tiro na cabeça; no local, marcas de sangue na cadeira onde Alziro estava sentado (Foto: Marina Pacheco)

A Justiça em Campo Grande converteu flagrante em prisão preventiva do pintor Vagner Barbosa da Silva, 40 anos, e do serralheiro William Cesar Garcia de Moraes, 41 anos, pela morte do açougueiro Alziro Rodrigues Garcia Weis, 30 anos, atingido com tiro na cabeça, na noite de sábado, no Jardim Talismã.

A manutenção da prisão foi determinada em audiência essa manhã, sob responsabilidade da juíza plantonista da Vara de Custódia, Sandra Regina da Silva Ribeiro Artioli.

O crime aconteceu em frente ao Bar Sertanejo, na Rua Serra de Maracaju, por volta das 21h50, onde estava funciona um bar que vende espetinhos. Além de Alziro, Ivanir Deviti, 40 anos, foi atingido de raspão na perna esquerda, durante tiroteio promovido pelos dois homens. O alvo da ação era Natã Pereira Maidana, 21 anos, companheiro da sobrinha de Vagner e que teria sido agredida pelo rapaz. William é ex-marido da moça, com quem tem um filho de seis anos.

No registro do flagrante, ontem, Vagner disse que estava embriagado e “não sabe nem como foi parar nesta Depac (...) lembrando vagamente que teve uma discussão” com Natã. Na versão do pintor, durante a briga, o rapaz teria tomado a arma da mão dele, conseguiu pegar de volta, tentou atirar, mas o revólver falhou duas vezes.

William também disse que estava embriagado, mas, ao contrário de Vagner não forneceu qualquer detalhe adicional, preferido manter-se em silêncio, respondendo somente em juízo.

Irritação – A versão de Vagner não é sustentada pelas testemunhas ouvidas pela Polícia Civil. Todos dizem que ele e William chegaram em um veículo Fiat/Uno e o pintor foi em direção a Natã, puxando o gatilho duas vezes.

A arma falhou e Natã aproveitou para fugir, pulando um muro. Irritado, Vagner virou-se para as outras pessoas sentadas próximas e disse “que todos eram amigos de Natã” e começou a atirar, atingido Alziro na cabeça. Ele voltou para o carro para fugir, mas eles deram volta na rua e, desta vez, William desceu e atirou em direção ao bar. Foi neste momento que Ivanir foi atingido.

O indiciamento inicial é de homicídio simples, lesão corporal dolosa e porte ilegal de arma.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions