A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

18/03/2016 18:25

Suspeito de arrastar homem após batida de carro se apresenta à policia

O homem de 32 anos alega inocência e disse que ficou com medo de descer do carro

Bianca Bianchi

Compareceu à 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, na tarde da quinta-feira (18), o motorista suspeito de ter arrastado Décio Azevedo, 42 anos, por cerca de 150 metros depois de uma batida de carro na noite de sábado (12) próximo ao bairro Carandá Bosque. De acordo com boletim de ocorrência, Décio teria ficado preso na janela do carro e sofreu diversos ferimentos.

Segundo o delegado titular da 3ª DP, Fabiano Nagata, o servidor público de 32 anos, que não teve sua identidade revelada, prestou depoimento por cerca de uma hora e alegou inocência.

"Ele explicou que, após a batida, a vítima o seguiu e foi até a janela do carro dele e queria que ele descesse do veículo de todo jeito. Ele ficou com medo e, por isso, arrancou com o carro, mas, garantiu que saiu devagar para dar a oportunidade do homem se soltar".

Segundo depoimento do suspeito, Décio não ficou preso, mas se agarrou à barra de ferro da janela do carro de propósito, contrariando o que Décio disse quando compareceu à polícia.

O suspeito foi liberado e poderá responder por evasão de local de acidente de trânsito e lesão corporal, crimes com pena máxima de um ano. Segundo Nagata, se o laudo do exame de corpo de delito que Décio fez na terça-feira (15) apontar lesões graves, o tipo do crime no inquérito será alterado para lesão corporal grave e a pena pode chegar até cinco anos de reclusão. O laudo ainda não tem prazo para ficar pronto.

Batida – Segundo ocorrências registradas pela Polícia Civil, por volta das 23h de sábado (12) o representante comercial Décio Azevedo seguia em sua camionete pela avenida Nelly Martins, também conhecida como Via Park, quando um Honda Civic bateu em seu veículo na rotatória com a avenida Mato Grosso. Apesar da colisão, o condutor do carro Honda Civic não parou. Décio seguiu o carro e, ao pararem em um sinal vermelho, Décio teria descido de seu veículo e tentado tirar a chave do contato do veículo que colidiu com o seu. Nesse momento, o carro teria arrancado, causando os ferimentos em Décio.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions