A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 15 de Setembro de 2019

25/08/2019 17:18

Tráfego não desanima e público lota show da Esquadrilha da Fumaça

Mesmo com dificuldade no acesso momentos antes do show, público compareceu em peso a apresentação na tarde deste domingo

Humberto Marques e Jones Mario
Apresentação da Esquadrilha da Fumaça foi realizada na tarde deste domingo. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)Apresentação da Esquadrilha da Fumaça foi realizada na tarde deste domingo. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)

A apresentação da Esquadrilha da Fumaça na tarde deste domingo (25) em Campo Grande, durante o evento de Portões Abertos da Ala 5 –a antiga Base Aérea–, transformou-se em um programa de família para as milhares de pessoas que enfrentaram tráfego pesado para chegar ao local, na Avenida Duque de Caxias. Quem garantiu seu lugar nas instalações militares pode acompanhar uma apresentação de quase uma hora, que fascinou o público e ainda garantiu renda extra para vários ambulantes cadastrados.

O tráfego para acesso ao local ficou intenso até depois do horário marcado para o início da apresentação, marcado para as 15h. Por volta das 16h, quem chegava demorava até dez minutos para percorrer uma distância de apenas três quadras –não por acaso, a expectativa de público para o evento era de 30 mil pessoas. Nada que desanimou os fãs da Esquadrilha, como o técnico de ar-condicionado Guilherme Augusto, 27, que assistiu à apresentação com a mulher, a autônoma Walquíria Ribeiro, 27, e a filha de 4 anos.

Com boné da Esquadrilha da Fumaça, Guilherme era apenas elogios para o show. “Esse tipo de evento tem de ter sempre em Campo Grande. É um programa muito família, que gosta das manobras”, disse, lembrando do coração desenhado pelos sete aviões em um dos pontos altos do voo. “Eles parecem anjos voadores”, disse Walquíria.

Com a mulher, sobrinho e as filhas, o cobrador André dos Santos Souza, 39, também se admirou com o evento, mesmo conseguindo entrar na Base Aérea já depois de o show começar. “Chegamos um pouco atrasados, a Esquadrilha já estava no ar”, lamentou ele. “É bom, um evento diferente que é bacana para a cidade”, prosseguiu. A fim de não perder nenhuma manobra, a família garantiu um espaço no gramado, onde estendeu um tapete e preparava um piquenique antes de voltarem para casa.

Apresentação atraiu multidão à Ala 5. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)Apresentação atraiu multidão à Ala 5. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)
Esquadrilha da Fumaça realizou manobras ao longo de 45 minutos. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)Esquadrilha da Fumaça realizou manobras ao longo de 45 minutos. (Foto: Tenente Barbieri/Divulgação)
Portões Abertos também foi oportunidade para ambulantes. (Foto: Jones Mario)Portões Abertos também foi oportunidade para ambulantes. (Foto: Jones Mario)
Aeronaves usadas pela Esquadrilha da Fumaça. (Foto: Jones Mario)Aeronaves usadas pela Esquadrilha da Fumaça. (Foto: Jones Mario)

De dentro – Em meio ao sol forte, calor e a baixa umidade, quem compareceu ao evento tinha em mãos garrafas de água ou, as guampas de tereré. Quem não garantiu as bebidas ou a comida, ou ainda queria levar alguma lembrança do evento, fez a alegria dos nove vendedores ambulantes cadastrados pela Base Aérea para atuar durante os Portões Abertos.

O pedreiro Jorge Ferreira de Oliveira, 39, foi um deles. Fazendo “bico” no domingo, ele comemorava a venda de 80 balões em forma de avião, ao custo unitário de R$ 10. “É bom que a gente faz uma graninha extra”, comentou, ressaltando que, durante a apresentação, parou as vendas para também prestigiar a Esquadrilha.

Na formação das aeronaves, coube ao capitão Felipe Barra Melo (o capitão Barra) a posição Delta-6, o avião que ficou na extrema direita durante as manobras. Há 17 anos na Força Aérea Brasileira, ele integra a Esquadrilha da Fumaça há três –no ano passado, porém, atuou como locutor durante a apresentação em Campo Grande–, e garante até hoje se divertir com o trabalho de rotina intensa.

“Costumamos fazer uma apresentação por semana em média. A rotina que apresentamos aqui tem 45 minutos, e foi toda treinada na base em Pirassununga (SP)”, contou. O voo de dorso –com as seis aeronaves invertidas com a “barriga” para cima– e o túnel com asas invertidas foram citadas por ele como as favoritas nas revoluções promovidas no céu da Capital neste domingo.

Já tradicional em Campo Grande, o evento anual da Ala 5 foi aberto às 10h, estendendo-se até as 17h. Além da Esquadrilha da Fumaça, exposições de aeronaves e simulações de operações militares, além de mostras de entidades parceiras e ações de saúde entreterem as famílias que comparecem.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions