A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

22/04/2014 10:36

Vacinação contra a gripe A começa atrapalhada em Campo Grande

Viviane Oliveira
Sobre o atraso da vacina no posto, Rosa da Silva diz que falta organização. (Foto: Marcelo Victor) Sobre o atraso da vacina no posto, Rosa da Silva diz que falta organização. (Foto: Marcelo Victor)

A vacinação contra a gripe sazonal H1N1 começou atrapalhada na manhã desta terça-feira (22), em Campo Grande. O horário para lançamento da pré-campanha estava agendado para 8h, no entanto, em pelo menos dois postos de saúde não tinham a dose.

Na manhã de hoje quem foi para tomar a vacina no posto de saúde do Jardim Macaúbas não conseguiu. “Isso é falta de gerenciamento e organização”, resume a dona de casa Rosa da Silva, 65 anos. Ela diz que todo ano não deixa de tomar a vacina, pois depois que começou nunca mais teve gripe forte.

A idosa Antônia Assis de Menezes, 73 anos, estava na unidade para se consultar e depois ia aproveitar para tomar a dose. “Ainda não tem”, disse surpresa ao ser informada que ainda não tinha a vacina no local. 

A auxiliar de limpeza Rosália Silva Teixeira, 37 anos, estava com o filho de 1 ano e 7 meses no posto. Ela também aguardava para uma consulta e depois ia aproveitar para colocar a carteira de vacinação do menino em dia. “Tomara que até a hora que eu sair daqui a vacina já tenha chegado”.

Perto dali, na UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do bairro Cohab também não tinha vacina. No local, os funcionários informaram que não tinha previsão do horário que iria chegar a vacina.

Dona Antônia aguardava para consultar e depois ia aproveitar para vacinar, no entanto, no local não havia chegado a vacina ainda. (Foto: Marcelo Victor) Dona Antônia aguardava para consultar e depois ia aproveitar para vacinar, no entanto, no local não havia chegado a vacina ainda. (Foto: Marcelo Victor)

A assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que por conta do feriado, a vacina ficou para ser distribuída nesta manhã. Ainda conforme o órgão, as vacinas precisam ficar em uma câmara fria e nas unidades de saúde não tem lugar que comporta uma grande quantidade.

Meta - Na Capital, a meta é vacinar pelo menos 80% das 184 mil pessoas contra a gripe A. A gerente técnica do Serviço de Imunização da Sesau, Cássia Tiemi Kanaoka, disse que no ano passado a meta foi alcançada. “O ideal é que se vacine o quanto antes”, alerta.

Neste ano, a faixa etária das crianças que podem tomar a vacina foi ampliada para entre seis meses e menores de 5 anos. No ano passado, o limite de idade era de dois anos.

Também devem tomar a vacina nas unidades de saúde pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores de saúde, povos indígenas, gestantes, mulheres que acabaram de dar à luz (até 45 dias após o parto), presos e funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais também devem se vacinar.

No caso dos acamados, equipes estarão mobilizadas para fazer a imunização de pacientes em visitas domiciliares. O agendamento para esse atendimento deve ser solicitado pela Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, por meio do telefone 3314-3062. A vacinação nas unidades de saúde acontece das 7h às 11h e das 13h às 17h.

Imunização - A vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). A criação de anticorpos contra a doença ocorre entre duas e três semanas após a aplicação da dose e por isso a campanha de vacinação é marcada para antes do inverno, quando acontece a maior circulação da gripe.

Segundo o Ministério da Saúde a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions