ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  20    CAMPO GRANDE 14º

Capital

Vítima vivia “liberdade vigiada” ao lado de marido que ateou fogo em casa

Crime aconteceu por volta das 18 horas de ontem. A moto e a casa em que a vítima morava foram destruídas

Por Geisy Garnes e Alana Portela | 11/06/2021 11:49
Moto da vítima ficou destruída com o incêndio (Foto: Henrique Kawaminami)
Moto da vítima ficou destruída com o incêndio (Foto: Henrique Kawaminami)

O incêndio causado por um garçom de 31 anos na casa da ex-mulher na noite desta quinta-feira (10), na Vila Aimoré, revelou detalhes de um relacionamento abusivo, marcado por ciúmes e controle. Segundo a delegada Joilce Silveira Ramos, a vítima de 46 anos, que é operadora de caixa, vivia uma “liberdade vigiada” ao lodo do companheiro e era monitorada até no trabalho.

Crime aconteceu por volta das 18 horas de ontem. A moto e a casa em que a vítima morava foram destruídas pelo fogo causado pelo suspeito. Nesta manhã, após perícia ir ao local, a delegada responsável pelo caso detalhou que o incêndio foi o estopim do comportamento ciumento e controlador do autor.

“Ele era muito possessivo e ciumento. Ela não podia sair sozinha e até no trabalho era monitorada. Vivia uma liberdade vigiada”, relevou a delegado. Esse ciúme doentio fez com que a vítima terminasse o relacionamento, mas as perseguições continuaram. No mês passado ela procurou a polícia e pediu medida protetiva contra o ex, que foi concedida pela justiça, mas ainda estava em fase de intimação.

Equipes da Deam e da perícia no local do incêndio nesta manhã (Foto: Henrique Kawaminami)
Equipes da Deam e da perícia no local do incêndio nesta manhã (Foto: Henrique Kawaminami)

Como o suspeito não havia sido comunicado oficialmente da decisão, não pode ser responsabilizado pelo descumprimento da medida.

O incêndio – A delegada também relatou uma versão diferente da narrada por testemunhas sobre o caso. Explicou que mesmo separados, o suspeito não deixou de procurar a vítima e na manhã de ontem foi a casa dela mais uma vez, para tentar reatar o relacionamento.

Com a negativa da mulher, teve uma crise de ciúmes e chegou a quebrar o celular dela.

A polícia foi chamada, o suspeito foi embora e a mulher preferiu não denunciar o caso na delegacia. Ainda assim, o medo fez com que fosse para a casa de parentes. Já no fim da tarde o garçom invadiu a residência, quebrou a janela do quarto dela, jogou um líquido inflamável (possivelmente combustível) e ateou fogo. Fez o mesmo com a moto da mulher.

Depois do crime ligou para a ex e ameaçou fazer o mesmo com ela. “Vou queimar você”, teria dito. Ao Campo Grande News, a vizinha da vítima e dona da casa em que ela morava, relatou que a operadora de caixa estava com ela no momento do crime. Segundo a testemunha, fazia meia hora que as duas conversavam justamente sobre o medo dela em relação ao suspeito quando avisaram do incêndio.

O garçom é considerado foragido. Diante do risco que apresenta a vítima, a polícia já pediu sua prisão preventiva. Enquanto isso a operadora de caixa permanece sob proteção policial.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário