A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

18/01/2014 12:35

Zona rural abandonada: morador paga para manter rua e não ficar no escuro

Aliny Mary Dias
Moradores compram cascalho e pagam máquinas para manter estrada vicinal (Foto: Cleber Gellio)Moradores compram cascalho e pagam máquinas para manter estrada vicinal (Foto: Cleber Gellio)

O período de chuvas fortes tem trazido problemas para várias regiões da cidade. De norte a sul, há quem reclame sobre alagamentos, inundações, buracos nas ruas, crateras e enxurradas. Mas mesmo quem vive fora da área urbana e experimenta a calma da zona rural tem reclamações e até tira dinheiro do próprio bolso para manter as vias públicas.

Em um dos locais, próximo macroanel rodoviário e de uma fábrica de refrigerantes, as chácaras mostram uma realidade diferente da cidade. O ar é puro, as casas são simples, porém com acabamento bem feito, e muitos cultivam frutas, hortas e criam bois e cavalos.

Mas nem tudo é perfeito. A principal reclamação dos moradores é com relação a situação das estradas vicinais. Rosane Barros tem 49 anos e há 10 vive no local batizado de Morada do Sol. O problema é tão grande quando chove que no fim do ano passado ela ficou ilhada dentro de casa.

“Tem muita enxurrada e muitos buracos. A situação é bem complicada mesmo, já fiquei uma semana ilhada porque nem caminhonete passava. Não é fácil”, conta.

Rosane faz vaquinha para pagar manutenção (Foto: Cleber Gellio)Rosane faz vaquinha para pagar manutenção (Foto: Cleber Gellio)
Buracos e crateras abrem em ruas e iluminação pública não funciona em alguns locais (Foto: Cleber Gellio)Buracos e crateras abrem em ruas e iluminação pública não funciona em alguns locais (Foto: Cleber Gellio)

Apesar de afastada do centro, a manutenção da área rural também é de responsabilidade da Prefeitura de Campo Grande. No entanto, maquinários e pessoal da administração nunca foram vistos no local.

“A gente já ligou, pediu para virem aqui, mas ninguém dá atenção. Resolvemos fazer uma vaquinha e cascalhar as ruas por conta própria”, diz Rosane.

A única alternativa encontrada pelos vizinhos é solução para a situação vista em vários pontos da região. Várias estradas vicinais com buracos, crateras e atoleiros precisam de atenção do poder público.

Raíra Raíssa Ribeiro, 23, mora há 7 meses com a família na zona rural e conta que a primeira chuva assustou os moradores. “Isso aqui virou um rio e a gente ficou bastante preocupado. Já pensamos em chamar a prefeitura para dar um jeito”.

Lixo e recipientes que acumulam água são frequentesLixo e recipientes que acumulam água são frequentes

Além da situação das estradas, a iluminação pública é motivo de reclamação. Em algumas ruas as luzes ficam ligadas 24 horas e em outras a escuridão é de afugentar qualquer um. “Esse poste nunca acendeu, a gente instalou um refletor aqui para iluminar um pouco”, explica Raíra.
Dengue - Em tempos de chuva frequente, a preocupação com a infestação da dengue cresce. E na região, lixos e recipientes que acumulam água se espalham nas vias.

Os moradores afirmam que agentes de saúde ou equipes da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) nunca foram vistos na região.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura sobre as ações na zona rural, mas ainda não houve retorno.



Não precisa muito não, moro em um residencial entregue a 2 anos e estamos em situação semelhante, a construção do posto de saúde parou, as ruas deixaram de ser cascalhadas, nem sinal da construção de uma escola que esta previsto no projeto original as crianças tem que estudar longe, os terrenos em volta puro mato e lixo dos moradores que não tem um pingo de consciência, agente de saúde? Só vi uma vez desde que moro aqui e faz mais de ano.
 
Giovanna Moraes em 18/01/2014 12:54:42
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions