ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 18º

Cidades

Com sonho de ser advogada, Sara se desafia a fazer o Enem em braile

Adriano Fernandes | 31/10/2016 16:21
Há cerca de um ano Sara se dedica ao preparo para o exame. (Foto: Fernando Antunes)
Há cerca de um ano Sara se dedica ao preparo para o exame. (Foto: Fernando Antunes)

A deficiência visual nunca impediu Sara Silva dos Santos, de 17 anos, de correr atrás dos sonhos. O maior deles é conseguir uma nota boa o suficiente no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para entrar na faculdade de direito.

Este ano ela é um dos quatros estudantes de Mato Grosso do Sul a fazer a prova em braile. Mas ela conta de certa forma já é experiente no exame. Em 2016 a jovem presta o vestibular para direito pela segunda vez.

“Mas agora é para valer. A expectativa é grande porque da outra vez que fiz a prova foi só uma forma de me testar”, ela brinca. Por ter impossibilidade total de visão, ela optou por fazer prova em braile, mas com o acompanhamento de um ledor, como é chamado quem acompanha, lê e transcreve as respostas do candidato para o gabarito. Ano passado ela também optou por esse recurso.

“Dessa forma eu consigo interpretar a prova em braile, como os gráficos de matemática e física, por exemplo, e ainda conto com o auxílio do ledor caso eu necessite da ajuda dele para interpretar a questão”, completa.

Em 2015 a estudante atingiu a pontuação 680 na prova, quando ainda cursava o segundo ano do ensino médio na Escola Blanche dos Santos Pereira, no Jardim Tijuca, região sul de Campo Grande. Para conseguir a tão esperada aprovação, ela conta que já se prepara há cerca de um ano.

Além dos estudos em casa a jovem concilia o seu tempo entre a escola e o acompanhamento que recebe diariamente no ISMAC (Instituto Sul Mato Grossense Para Cegos Florivaldo Vargas), há três anos.

“Lá eu tenho as aulas de orientação e mobilidade urbana e até judô”, se orgulha. No próximo sábado (05) e domingo (06) ela enfrenta a maratona de cerca de 10 horas de provas na Escola Municipal Doutor Eduardo Olímpio Machado. As universidades UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) e UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) são suas duas opções de bolsas de estudo. 

Inscritos – Em Mato Grosso do Sul 15 estudantes solicitaram atendimento especial por algum tipo de deficiência visual, mas apenas 4 solicitaram fazer as provas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) 2016 em braille. Em todo o país foram 1.156 candidatos que alegaram algum tipo de dificuldade visual.

Além do braile o INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) também oferece outros recursos de atendimento ao candidato. Durante a inscrição para o exame este ano, o questionário pedia ao candidato que especificasse o tipo de auxílio ou recurso que precisaria para fazer a prova.

Como fazer os exames unicamente em braile, com letra ampliada, salas com acessibilidade e o auxílio para leitura eram algumas das opções que os candidatos podiam escolher. O participante que declarar ser portador de necessidades especiais também poderá solicitar um tempo adicional de até 60 minutos para a realização da prova, em cada um dos dias do exame.

Enem 2016 – Nos dois dias de provas do Enem, os portões serão abertos às 12h e se fecham às 13h e o início das provas é às 13h30 (horário de Brasília) . A duração do exame no primeiro dia de prova é de 4 horas e 30 minutos e o segundo, 5 horas e 30 minutos. começam a partir das 12h.
O local de prova consta no Cartão de Confirmação da Inscrição, na Página do Participante, pelo link.

Nos siga no Google Notícias