A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 21 de Janeiro de 2018

25/02/2010 18:13

Defesa entra com pedido de liberdade para servidor

Redação

A defesa do servidor Ramão Echeverria, do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), preso na última terça-feira (23), já ingressou com pedido de liberdade provisória.

Ramão foi transferido hoje para o Instituto Penal de Campo Grande. A expectativa da defesa é que até a próxima semana ele receba a liberdade.

Segundo a advogada do servidor, Luciana Abou Ghattas, a prisão não ocorreu por abuso sexual e sim sob a acusação de coação no curso do processo.

Uma das vítimas disse à Polícia que estava sendo pressionada pelo servidor acusado, e a prisão ocorreu para não atrapalhar o andamento das investigações.

Ghattas rebate a acusação de que Echeverria tenha tentado coagir qualquer vítima, e afirma que ele sempre colaborou com o processo comparecendo a todas as audiências.

A advogada alega ainda que o servidor é réu primário, não tem nenhum antecedente e possui boa conduta. Ele mora há 18 anos em Campo Grande, trabalha como servidor do Incra há 17 anos e é professor há mais de 30 anos.

De acordo com ela, nunca foi registrada denúncia de que alguma de suas alunas tenha sofrido qualquer tipo assédio da parte do servidor.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions