A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

18/05/2011 11:10

Depois de 6h, índios encerram protesto e liberam trânsito na BR-163

Aline dos Santos e Vanda Escalante
Após fila de 10 km, trânsito foi liberado na BR-163. (Foto: João Garrigó)Após fila de 10 km, trânsito foi liberado na BR-163. (Foto: João Garrigó)

Os índios terenas liberaram o trânsito na BR-163 após seis horas de protesto. A interdição começou às 4h, próximo a Jaraguari, e terminou por volta de 10h30.

Durante negociação, a Funai (Fundação Nacional do Índio) propôs um reunião em Brasília para discutir a demarcação da aldeia Buriti. O grupo exige a demarcação da área, localizada entre os municípios de Dois Irmãos do Buriti e Sidrolândia.

A área já foi reconhecida pelo governo federal como terra indígena. Os terenas cobram que seja criado um grupo de trabalho e a publicação da portaria com a demarcação.

Coordenador regional da Funai, Edson Fagundes, afirmou que vai fretar um ônibus para levar uma comissão de indígenas ao Distrito Federal.

Cerca de 20 policiais do Grupo de Choque do Núcleo de Operações Especiais da PRF (Polícia Rodoviária Federal) foram ao local. Os indígenas vão permanecer próximo à rodovia e prometem novo bloqueio caso as negociações não evoluam.

A interdição causou fila superior a 10 km no sentido Cuiabá a Campo Grande. A rodovia tem grande fluxo de veículos, com predomínio de caminhões.

Localizada a 30 km de Sidrolândia, a Buriti é formada por um complexo de nove aldeias, com quatro mil pessoas vivendo em 2 mil hectares. O grupo reivindica 17 mil hectares.

Há uma semana os indígenas deflagram um processo denominado de retomada, com a invasão da fazenda 3R. Ontem, a justiça federal determinou que os terenas saíssem da propriedade rural.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions