A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

18/05/2011 10:03

Governador ordenou ida da Tropa de Choque para desobstruir BR-163

Marta Ferreira e Ítalo Milhomem
Índios na beira de rodovia interditada.Índios na beira de rodovia interditada.

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), informou nesta manhã que ordenou a ida de homens da Cigcoe (Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) para a desobstrução da BR-163, bloqueada por índios na nação Terena, desde as 4h.

Puccinelli disse, ao participar da formatura de policiais militares, nesta manhã, que determinou a desobstrução “com ou sem imprensa”. A decisão, segundo ele, foi para garantir o direito de ir e vir das pessoas que usam a via,uma das principais do Estado.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, afirmou que, como se trata de uma rodovia federal, cuja fiscalização é feita pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), sãos os policias da tropa de shoque do Núcleo de Operações da PRF que farão a negociação para desocupar a pista, mas a equipe ainda não saiu de Campo Grande.

Os homens da Cigcoe vão dar apoio à ação, segundo o secretário. Eles fazem parte da Tropa de Choque, unidade ligada à Cigcoe, e já estão na rodovia, a dois quilômetros de onde estão os índios.

Congestionamento chega a 10 km em trecho bloqueado por índios, segundo a PRF. (Foto: João Garrigó)Congestionamento chega a 10 km em trecho bloqueado por índios, segundo a PRF. (Foto: João Garrigó)

O bloqueio- Cerca 300 índios estão no local. A pista foi fechada com pneus e no acostamento há uma fogueira para espantar o frio. No ponto do bloqueio, só estão os indígenas e a PRF.

O local do protesto foi isolado por barreiras policiais, tanto no sentido Campo Grande/ Cuiabá, quanto no caminho inverso. A partir da Capital, a primeira barreira policial é no anel viário, próximo ao bairro Nova Lima. A segunda barreira foi montada a 200 metros do ponto de interdição.

Conforme a PRF, o congestionamento no sentido Cuiabá a Campo Grande passa de 10 km.

O protesto é para exigir a demarcação da terra indígena Buriti, em Sidrolândia. São,no total, 17 mil hectares, já reconhecidos mais ainda em posse dos fazendeiros em sua maioria. Uma das fazendas que faz parte da terra, a 3R, em Sidrolândia, está ocupada por índios, desde o dia 10, e uma decisão de segunda-feira da Justiça Federal determinou a desocupação da área.



Se o domínio é dos Terena, por que o Estado mora tanto para lhes ceder também a posse. Dois pesos, duas medidas. Lamentável.
 
Valter Cruvinel em 18/05/2011 11:09:50
no meu ponto de vista o nosso governador esta certo existe formas de protestar que não seja bloquiar as vias publicas. não sou contra indio, mais ele vivem dependendo do governo para tudo então para que terras..opnião minha
 
reynaldo gomes bejarano em 18/05/2011 10:41:11
Ai sim, engraçado, porque os indios não enfrenta os policiais? ja que tão querendo guerra por terras vai em frente encara. o povo que não tem o que fazer.
 
alziro junior em 18/05/2011 10:37:55
Eu creio: enquanto existe orgão COMPETENTE da (PRF) Policia Rodoviaria FEDERAL com seus efetivos altamente qualificados e prepados psicologicamentes para atenderem qualquer classes de minorias EXCLUÍDOS do poder públicos junto com os grandes patrões bancadores de campanhas... não somente indios reivindicando seus direitos; não precisará haver guerra e nem confronto policiais porque eles são efetivos que são qualificados e honram as suas funções e cada um deles sabem o momento certo para atuarem como autoridades, e NÃO COM AUTORITARISMO determinando seus sigcuis desobstruirem a br, com ou sem imprensa no local. Ou seja no pau mesmo. Bem fez o secretário que se atentou: que por enquanto o estado está longe aínda de mandar nos federais, e deixou a sua tropa de eleite uns tres km longe do movimento se não.....
 
JOSE ARIMATEIA em 18/05/2011 09:59:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions