A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

03/02/2014 17:36

Disputa por federação, que fatura R$ 360 mil, tem ameaça de sequestro

Bruno Chaves
Diretores da Força Sindical com membros da chapa da oposição (Foto: Divulgação/Assessoria)Diretores da Força Sindical com membros da chapa da oposição (Foto: Divulgação/Assessoria)

A eleição que escolherá o novo presidente da Fetricom/MS (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Mato Grosso do Sul), entidade que movimenta até R$ 360 mil por ano, é marcada por polêmicas envolvendo duas chapas. Entre elas, até ameça de sequestro. Ao todo, 13 sindicatos vão às urnas no dia 7 de fevereiro.

Alex Lima de Albuquerque, candidato da oposição, chegou a recorrer ao Ministério Público do Trabalho para participar do processo eleitoral. Segundo a assessoria dele, o candidato a reeleição Webergton Sudário da Silva, o Corumbá, procura impedir o processo eleitoral democrático sonegando documentos e ameaçando trabalhadores, lideranças sindicais e até empresários.

Alex é apoiado pela Força Sindical, que enviou membros como o ex-ministro do Trabalho Antônio Rogério Magri e Hugo Peres para Campo Grande. Eles afirmaram que pedirão ajuda da Polícia Federal para garantir que as eleições ocorram tranquilamente, principalmente para votantes do interior que precisam vir à Capital.

“Soubemos que Corumbá está jogando sujo, ameaçando lideranças sindicais, inclusive de sequestro, para tentar impedi-los de votar contra a diretoria que está na direção da Fetricom/MS”, afirmou Hugo Peres, por meio da assessoria.

Procurado pela reportagem, Corumbá negou as acusações e disse que tudo não passa de desespero eleitoral. “Eles entraram até com denúncias no Ministério Público, mas o Ministério Público não viu base nisso. Eles estão correndo atrás de voto”, disse.

O candidato a reeleição conta com apoio da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e disse que está confiante no processo eleitoral. “Por isso, para nós, se eles conseguirem apoio da Polícia Federal é até melhor. Isso vai garantir a lisura das eleições”, opinou.

Segundo Corumbá, a Fetricom/MS possui receita mensal de até R$ 30 mil. Atualmente, 13 sindicatos são filiados. Na eleição da próxima sexta-feira (7), 23 delegados irão participar. Cada sindicato elegeu dois delegados, que participarão do processo, mas alguns não conseguiram escolher uma dupla.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Federal para confirmar a solicitação de apoio nas eleições do dia 7 de fevereiro. No entanto, até o fechamento desta matéria, a solicitação não foi respondida



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions