A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

23/08/2015 07:12

Em MS, 90,3% dos idosos enfrentam dificuldade para fazer tarefas básicas

Flávia Lima
Dificuldade para sair sozinho de casa aumenta conforme a idade, porém, em MS, apenas 11,2% dos homens idosos enfrentam essa limitação. (Foto:Arquivo Campo Grande News/Marcos Ermínio)Dificuldade para sair sozinho de casa aumenta conforme a idade, porém, em MS, apenas 11,2% dos homens idosos enfrentam essa limitação. (Foto:Arquivo Campo Grande News/Marcos Ermínio)

Divulgada pelo IBGE na sexta-feira, a Pesquisa Nacional de Saúde 2013, também estudou a funcionalidade, ou seja, as limitações que as pessoas com 60 anos ou mais enfrentam para realizar, sozinhas, atividades da vida diária, que variam de comer até a cuidar do próprio dinheiro.

Nesse quesito, todas as regiões do país apresentaram dados que não diferem muito da média nacional. Na região Centro-Oeste, por exemplo 19,1% da população apresenta limitação para realizar atividades instrumentais, como ir ao banco, utilizar transporte público, tomar medicamentos e cuidar de seu próprio dinheiro.

Em Mato Grosso do Sul, 18% dos idosos com 60 anos ou mais enfrentam esse tipo de problema, que é maior entre as mulheres (26,2%) em relação aos homens (11,2%). Já o percentual entre os idosos que precisam de auxílio para realizar atividades mais rotineiras, como comer, tomar banho, ir ao banheiro ou simplesmente se locomover de um cômodo para outro, é de 79,1% no Centro-Oeste e de 90,3% no Estado.

Nesse item, o percentual diagnosticado em Mato Grosso do Sul é um dos maiores do país, ficando atrás apenas de estados como Rondônia, Piauí, Ceará e Espírito Santo. Entre aqueles que possuem limitações, mas não recebem qualquer tipo de ajuda, o índice é de 23,2% no Centro-Oeste e 13,8% em Mato Grosso do Sul.

Há também os que possuem limitação funcional, porém recebem cuidados da família. Nesse quesito, 82,5% dos idosos com 60 anos ou mais de Mato Grosso do Sul tem ajuda familiar. As mulheres recebem mais auxílio (88,1%) do que os homens (72,9%).

Com o objetivo de verificar os graus de autonomia e a inserção social, a pesquisa investigou a participação das pessoas de 60 anos ou mais de idade em atividades sociais organizadas, como clubes, grupos comunitários ou religiosos e centros de convivência do idoso.

Conforme a média nacional, o número de idosos que participam dessas atividades é pequeno. Para se ter uma ideia, em Mato Grosso do Sul, apenas 18,6% das pessoas consultadas integram ações em clubes ou centros de convivência. No Centro-Oeste, o total é de 24,7%.

PNS - O terceiro volume da Pesquisa Nacional de Saúde foi realizado em 64 mil domicílios em 1,6 mil municípios entre agosto de 2013 e fevereiro de 2014.

Durante o levantamento, foram coletadas informações sobre toda a família a partir de entrevistas válidas para 205 mil indivíduos em domicílio, escolhidos por meio de sorteio entre os moradores da residência para responder ao questionário.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions