A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

24/07/2013 16:14

Empresário luta há quase um ano para "pegar" caminhão obtido em leilão

Graziela Rezende
Empresário mostra 1ª compra do leilão. Foto: Marcos ErmínioEmpresário mostra 1ª compra do leilão. Foto: Marcos Ermínio

Um investimento de R$ 34 mil, que está "sucateando" a cada dia. É o que pensa o empresário Nairton Joaquim da Silva, 49 anos, após realizar a compra de um caminhão Mercedes Bens, em um leilão da prefeitura, realizado no dia 15 de agosto de 2012. Assim que legalizado e com a vistoria em dia, a vítima voltou ao Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul), para pegar o documento. E lá foi informado que o veículo ficaria retido e dificilmente seria liberado.

“Eu comprei por R$ 16 mil, fiz a reforma, colocando pintura e carroceria novas, no valor de R$ 10 mil, além de adquirir um munck (movimentação de cargas), que paguei mais R$ 8 mil. A intenção era acoplar no caminhão e já começar a trabalhar, porque garanti inúmeras encomendas na área da rede de esgoto e até agora só tive prejuízo”, diz indignado, o empresário.

Desde o dia em que o caminhão ficou retido no Detran/MS, Nairton possui uma rotina que inclui inúmeras ligações pedindo providências. “Eles simplesmente informaram que igual ao meu veículo, existiam outros dois com a mesma numeração de chassi. E me orientaram a falar com o Major César, do Cead (Conselho Estadual Anti-Drogas), que todos os dias promete me retornar a ligação”, comenta o empresário.

Até o momento, o que ele sabe é que o destino do caminhão foi à Defurv (Delegacia Especializada de Repressão ao Furto e Roubo de Veículos). “Tenho medo de o caminhão virar uma sucata, principalmente porque hoje completa três meses que ele está lá, a céu aberto. E preciso muito dele para rodar, comprei na boa fé”, lamenta o empresário.

 

Equipamento fica jogado no pátio. Foto: Marcos ErmínioEquipamento fica jogado no pátio. Foto: Marcos Ermínio
Gol foi adquirido em leilão junto com caminhão. Foto: Marcos ErmínioGol foi adquirido em leilão junto com caminhão. Foto: Marcos Ermínio

Da mesma maneira, ele havia participado de outros três leilões. No ano 2002, por exemplo, adquiriu uma F-1000 para a sua empresa Tratormaq, além de outros veículos, bem como um Gol branco, placa GTX 4208. “Este veículo, com placas de Belo Horizonte – MG, deixo aí encostado, porque tenho medo de acontecer a mesma coisa que ocorreu com o caminhão. Do que adianta eu reformar, investir e depois eles não me devolverem?”, questiona a vítima.

Segundo a assessoria de comunicação do Detran/MS, mesmo que o comprador tenha adquirido o caminhão em um leilão e esteja aguardando a transferência, ele é enviado para a Defurv quando o vistoriador constata qualquer suspeita de fraude. E de lá ele é novamente vistoriado no IC (Instituto de Criminalística), sendo orientado a cobrar deste órgão um relatório sobre o seu veículo.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


Tbm estou no mesmo caso, arrematei um ônibus de um leilão da Receita Federal no mês de Dezembro de 2012 e ate hoje não consegui legalizar, ja paguei os impostos atrasado que tinha o ônibus mas mesmo assim a Guia de licenciamento não da baixa e assim vou esperando ja se passou 8 meses e ainda não consegui emplacar só com despachante ja gastei um monte e nada de resolver..................
 
Domingos Martins em 24/07/2013 19:36:22
ABSURDO, quem vende não pode fazer isso com o comprador, cabe botar Advogado em cima e exigir indenização por vários danos.
 
arnaldo saracho em 24/07/2013 17:07:53
O Detran/MS, Defurv e IC estão praticando um crime contra este senhor onde o mesmo arrematou o veículo em um leilão da prefeitura e quem deveria ser investigado é o prefeito, o responsável pelo pátio dos veículos do mesmo e o leiloeiro que fizeram o leilão na época. Eles é que devem prestar esclarecimento sobre o leilão de um veículo ilegal e não o arrematador. O senhor Nairton Joaquim da Silva deve entrar com processo de reparação de bens(o valor pago no leilão com juros e correções monetárias), danos morais(venderam a ele um produto de crime) e ressarcimento dos prejuízos causado pela falta do veículo(com juros e correções monetárias) contra a prefeitura e também abrir processo contra o Detran/MS, Defurv e IC que estão agindo de má fé e tratando o senhor como o responsável pelo crime!
 
Alexandre de Souza em 24/07/2013 17:03:01
Nesse caso em tela o DETRAN/MS não tem culpa, os culpados são os irresponsável que realizam os leilões Público. A lei é clara, todos os veículos tem que ser periciados antes de ir a hasta pública, mas isso nunca aconteceu. Juízes e Promotores de justiça são levados a erro todas as vezes que são chamados a participar e fiscalizar os leilões, cometem até crimes sem saber o que está acontecendo. Meu telefone é esse 9200-2875, para quem quiser saber mais. Também estou disposto a denunciar essas falcatruas a qualquer promotor de justiça que esteja interessado no assunto.
 
Amilton Ferreira de almeida em 24/07/2013 17:02:25
meu caro Nailton Joaquim da silva eu lamento o fato que está acontecendo com vc, pois vivemos num pais da impunidade, nem quem deveria dar bons exemplos não está nem ai com a sua causa, sendo assim eu te oriento á chamar o celso russo mano, se vc conseguir fazer a sua causa chegar até ele, com certeza o seu caso será resolvido nem que ele mesmo de ordem de prisão á estes espertos. deputado celso russo mano .com,tenta fazer isso, ,talvez ele se comova com a sua situação. obrigado um abraço.
 
Demolins Machado Rezende em 24/07/2013 16:57:41
Estes leilões estão sendo um verdadeiro engodo para as pessoas de bem. Comigo aconteceu o inverso, arrematei um caminhão no MÊS DE FEVEREIRO/2012 em Amambai -MS, em um leilão da SENAD; me entregaram o bem, porém sem a documentação, somente com a carta de arrematação; como o caminhão era de São Paulo foi uma briga danada, INCLUSIVE PARA SAIR A DOCUMENTAÇÃO PRECISEI INGRESSAR COM AÇÃO JUDICIAL CONTRA O JUIZ DE AMAMBAI para fornecer a documentação, que só foi liberada em MAIO/2013. Gastei com advogado, com custas judiciais e ainda fui multado pelo DETRAN MS, por não ter documentado o veículo 30 dias após a compra. Agora vou ingressar com ação por danos morais e materiais e alguém vai pagar o pato.
 
José Fernandes de Moura em 24/07/2013 16:48:27
Lastimável o que é feito com pessoas simples e que precisam trabalhar. Não haveria demora e a solução seria imediata se a pessoa fosse de outra categoria de renda. Os Órgãos Públicos deveriam ser bem mais eficientes principalmente junto aos que mais precisam e já demonstraram ser pessoas de bem. Vejam bem, o cidadão adquiriu o veículo num leilão da prefeitura, precisa dizer mais alguma coisa???
 
jorge oliveira em 24/07/2013 16:44:28
Se o cidadão comprou o veiculo em um leilão da prefeitura, vistoriado e legalizado não poderia acontecer nenhum problema a não ser que :

A prefeitura roubou o caminhao e vendeu - Isto é crime.
A prefeitura esta vendendo veiculo roubado - tambem é crime.

Se isto acontece com um mero pagador de impostos o coitado ja estaria preso por receptação, estelionato... ou outro crime. Mas como é a prefeitura, sobra para o coitado do comprador de boa fé que nem fiel depositário consegue ser pra usar o veiculo até a solução do problema. Isto é Brasil !!!! Viva Campo Grande.
 
Jose Batista em 24/07/2013 16:41:18
Só no Brasil que os trabalhadores são roubados descaradamentes, porque estes veiculos foram para leilões se tinha problemas com os mesmo, o detran antes de leiloar já tinha que ter verificado isto, não se pode leiloar um produto suspeito de roubo, se eu fosse o proprietário tinha ido a delegacia e feito um B.O contra o detran por ter me vendido um produto roubado, pois isto se chama receptação.
 
MARIO TULIO em 24/07/2013 16:33:27
Os veículos só deveriam ir à leilão depois que estivessem totalmente hábeis a serem legalizados. Isso não passa de um golpe por parte dos órgãos públicos envolvidos, os responsáveis tem que responder como estelionatários.
 
Mathias Hanns em 24/07/2013 16:30:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions