A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

04/06/2013 17:48

Família é presa durante operação que apreendeu 3,4 toneladas de maconha

Viviane Oliveira
Um dos presos na operação desta terça-feira. (Foto: divulgação)Um dos presos na operação desta terça-feira. (Foto: divulgação)

Durante a Operação “Rota 289” em alusão à rodovia MS-289, que liga Coronel Sapucaia a Amambai, na fronteira do Brasil com o Paraguai, foram apreendidas 3,4 toneladas de maconha, além de 15 pessoas presas em flagrante por tráfico de drogas.

A ação foi deflagrada nesta terça-feira (4) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado de Mato Grosso do Sul) com o apoio do 3ª Batalhão da Polícia Militar de Dourados, da 3ª Companhia, 4º Batalhão da Polícia Militar de Ponta Porã e do Gaeco de Mato Grosso.

Foram presos Santiago Gomez, Junior Quadra Antunes, Vanessa Martins Gomes, Adriane Martins. Todos são da mesma família e moradores em Coronel Sapucaia.

Durante a operação, que teve inicio da investigação há um ano, foram cumpridos oito mandados de prisão preventiva, sendo cinco na cidade de Coronel Sapucaia, um em Dourados e dois em Rondonópolis (MT). Também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em Coronel Sapucaia, para apurar a prática de crime de tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Além das prisões, foram apreendidos 10 veículos de passeio, seis armas de fogo, munições e dinheiros, tanto no Estado de Mato Grosso do Sul, quanto nos Estados de Mato Grosso, Goiás e São Paulo, para onde eram transportadas as drogas que vinham de Coronel Sapucaia.

Além de armas, foram apreendias 3,4 toneladas de maconha. (Foto: divulgação)Além de armas, foram apreendias 3,4 toneladas de maconha. (Foto: divulgação)

As cargas de maconha apreendidas totalizaram 3.410 quilos, todas vendidas por Santiago Gomez, que contava com o auxilio dos familiares para a execução dos crimes de tráfico.

Além de fornecer drogas para diversos municípios de Mato Grosso do Sul, Santiago também mandava para outros estados. A maior apreensão foi em Rondonópolis, onde em agosto do ano passado, Paulo César Fortes foi preso em flagrante por tráfico e porte ilegal de arma de fogo.

Mesmo no presídio, Paulo César, encomendava através de telefone celular carregamentos de drogas. Para isso ele contava com Falkner de Alcântara Ribeiro, Antônio Carlos Hipólito Marques, Jair da Silva e Leandro Silva Resende. Os últimos dois foram presos em Dourados, um com 203 quilos de maconha e o outro com 401 quilos. 

Também integravam a quadrilha de Paulo César, Fernando Carlos de Oliveira Souza, que está foragido. O transporte da droga era realizado pela rodovia MS-289 por veículos, bicicletas através das fazendas da região até Dourados, onde seguia de veículo para diversos lugares do país.

Os ciclistas transportavam cerca de 50 quilos de maconha cada um e viajavam à noite.



A operação Ágata tem seu valor. Existe algo de estratégico na operação que a população não sabe. A operação coopera e muito para o efetivo resultado das operações da PM e outros órgãos.
 
Ronaldo Pissurno em 05/06/2013 11:05:21
Famílias do Brasil agradecem a PM por mais um feito, mais um prejuízo para esses bando de bandidos criminosos destruidores de crianças e adolescentes que são induzidas ao trafico de drogas, para ficar ainda melhor esta noticia, seria importante divulgar o valor de toda essa apreensão, para podermos saber o quanto de prejuízo esse miseráveis não lucraram mais uma vez.
 
vanessa maia em 05/06/2013 08:33:06
Vejam só... com toda essa "operação Ágata" por aí quem mostrou serviço foi a Polícia Militar. Parabéns guerreiros, vcs sim mostram serviço e não são reconhecidos pelo governo. Com viaturas em pedaços e pouco efetivo mostram as suas qualidades. Só gostaria de saber o valor empregado nessa tal operação ágata e o resultado final. pasmem.
 
Carlos Augusto Miranda em 04/06/2013 18:19:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions