A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/08/2009 21:17

Farmacêutico será indiciado por morte de universitário

Redação

O farmacêutico Delci Lima de Oliveira, de uma farmácia de manipulação de Campo Grande, será indiciado pela morte do universitário Dario Dibo Nasser Lane, 23 anos, ocorrida em 13 de abril, em Campo Grande, informa a Polícia Civil.

O profissional responderá por exercício ilegal da medicina e homicídio doloso, aquele no qual há intenção de matar, confirma a Polícia. O jovem morreu após sofrer um infarto e no quarto dele familiares encontraram frascos de comprimido Clembuterol, medicamento de uso veterinário.

As investigações, conduzidas pelo 1º DP (Distrito Policial) da Capital, indicam que o farmacêutico, ao manipular o remédio tinha conhecimento dos efeitos que a substância provoca.

No entender da Polícia, as provas indicam que o profissional, ao vender a medicação para o ser humano, assumiu o risco da produção do evento. Laudo assinado pelo presidente do CRF/MS (Conselho Regional de Farmácia de Mato Grosso do Sul), Ronaldo Abrão, destaca que se trata de uma "substância usada em animais com dosagem letal para humanos".

Em entrevista ao Campo Grande News, Abrão esclarece que o medicamento pode ser ministrado para as pessoas, porém, em dosagem menor. Ele explica que a farmácia tem condição de fazer a manipulação, desde que haja prescrição médica.

"Não tem marcas no Brasil deste medicamento, mas a manipulação pode ser feita com prescrição", reforça o presidente da entidade. Ele ressalta que a falta de prescrição foi o problema detectado pelo CRF/MS, onde o profissional responde a processo ético.

O procedimento está na fase em que o farmacêutico deve apresentar a defesa por escrito.

Abrão afirma que esta é a primeira vez de que tem notícia de indiciamento contra um profissional por homicídio doloso. Ele classifica a decisão como "equivocada" e "exagerada".

O indiciamento está previsto para às 9h30 de quarta-feira (02/09).

Histórico - Depois da morte do universitário, familiares encontraram no quarto dele ampolas de esteróides, além dos frascos de comprimido de Clembuterol. A medicação é utilizada como inibidor de apetite, mas só é permitida para uso veterinário no Brasil.

Os familiares afirmam que o jovem havia usado um coquetel que associava o inibidor aos anabolizantes. Dario sentiu-se mal em casa, pouco depois de tomar o Clembuterol.

Ele chegou a ser socorrido e não resistiu ao infarto.

Ministério Público faz contrato de R$ 3 milhões com empresa de informática
O MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) firmou contrato de R$ 3,3 milhões com a empresa Click Ti Tecnologia Ltda. Com validade de seis me...
Novos critérios definem morte encefálica e afetam doação de órgãos
O Conselho Federal de Medicina (CFM) divulgou hoje (12) critérios mais rígidos para definir morte encefálica. A mudança nos procedimentos tem impacto...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions