A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/01/2014 11:07

Fim de ano em MS registrou aumento de 150% nos assassinatos

Graziela Rezende
Suspeito de morte trágica em Campo Grande. Foto: Pedro PeraltaSuspeito de morte trágica em Campo Grande. Foto: Pedro Peralta

A Polícia contabiliza aumento de 150% em mortes violentas entre o dia 31 de dezembro de 2013 ao dia 1° de janeiro deste ano, se comparado ao mesmo período do ano passado. Ao todo, são dez homicídios dolosos no Estado, sendo um em Campo Grande, no qual o filho assassinou o pai a facadas na Vila Planalto. Em 2012, no mesmo período, foram quatro mortes registradas.

No trânsito, o número de mortes se agrava por conta de quatro ocorrências no período, uma em Paranaíba, outra em Vicentina, além de Ribas do Rio Pardo e Campo Grande. No ano passado, o dia 31 de dezembro e 1° de janeiro contabilizaram três mortes no trânsito, sendo uma na Capital, outra em Coxim e Aquidauana, a 135 quilômetros de Campo Grande.

Morte trágica – Carmelo Borton Cairo, 44 anos, foi assassinado a facadas pelo filho Rodrigo Marques Cairo, 25 anos, na madrugada de ontem (1), na Vila Planalto. O autor retornava de uma festa quando iniciou uma briga com a esposa e um amigo. A vítima tentou encerrar a discussão, porém lutou com o jovem com pedaço de madeira e foi ferido fatalmente com uma faca por ele.

Poucos minutos antes, na avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, Marco Aurélio Luiz Ferreira, 29 anos, perdeu o controle da direção e colidiu contra um poste, morrendo no local. Ele pilotava uma moto Honda Titan.

Em Sidrolândia, a 71 quilômetros da Capital, um jovem de 22 anos foi morto com um tiro na cabeça durante a festa de réveillon. Rafael Lopes Muniz era gesseiro e morava no Conjunto Buriti, em Campo Grande.

Ele foi assassinado após uma confusão por volta das 3h40 na festa popular na Praça Porfírio de Brito. Segundo a versão da família, Rafael foi morto após sair em defesa de uma mulher grávida que estava sendo agredida pelo marido. Após defendê-la, ele foi perseguido pelo assassino, que o executou do outro lado da avenida. O suspeito do crime, identificado como Ramãozinho, está foragido.

Amambaí, a 360 quilômetros da Capital, no interior de reserva indígena, Valdir Valdo Benitez, 19,  ao atender a solicitação do capitão Italiano Vasquez, encontrou o corpo dentro de um poço desativado avançado estado de decomposição. O Corpo de Bombeiro retirou o corpo inúmeras perfurações no abdômem e na cabeça. O irmão reconheceu e contou que ele saiu de casa no dia 28, às 17h.



os marginais sabem que voce não possui armas de fogo e destemidos sabendo disso atiram em voce sem voce poder revidar, armas é proibido ah ah ah
acabou o respeito com a lei das armas.
 
Efraim Dutra em 02/01/2014 12:22:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions