A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Junho de 2017

14/10/2013 07:13

“Prima pobre”, Selvíria quer ampliar território para abocanhar Eldorado

Depois de disputa com Cesp, Prefeitura mira fábrica que fica a 200 metros

Aline dos Santos, enviada especial a Selvíria
Município quer ampliar território até o rio Sucuriú. (Foto: João Garrigó) Município quer ampliar território até o rio Sucuriú. (Foto: João Garrigó)
“Prima pobre”, Selvíria quer ampliar território para abocanhar Eldorado

Ganhar 20 mil hectares e, de quebra, abocanhar a Eldorado Brasil, maior fábrica de celulose em linha única do mundo. Os planos nada modestos são do município de Selvíria, com 6.427 habitante e a 70 quilômetros de Três Lagoas. A localidade, que surgiu como cidade-dormitório da obra da barragem de Ilha Solteira e amargou o êxodo dos funcionários, agora volta a sentir os ventos da prosperidade.

Depois de brigar com a Cesp (Companhia Energética de São Paulo) por compensações, Selviria deve partir para uma luta territorial. De acordo com o procurador-jurídico do município, José Maria Rocha, quando era distrito de Três Lagoas, a divisa ficava no rio Sucuriú. “Quando foi emancipado, diminuíram o território. Onde já se viu isso”, afirma.

Apesar de a cidade já contar com 32 anos, ele explica que para um município os direitos não prescrevem. “Uma briga longa, de 40 anos, pode ser muito para nós, pessoas, mas para o município, pessoa jurídica de direito privado, não é nada”, compara. Segundo ele, a briga com Três Lagoas começará quando for concluída a batalha judicial com a Cesp.

Segundo José Maria, território encolheu na transição de distrito para município. (Foto: João Garrigó)Segundo José Maria, território encolheu na transição de distrito para município. (Foto: João Garrigó)

Selvíria arrecada R$ 2 milhões por mês, mas o valor pode chegar a R$ 7 milhões se forem aplicadas decisões que destinam ao município direito de receber valor adicionado da Cesp pela produção, geração e distribuição de energia. Segundo o procurador, ficou provado que a barragem está no território de Selvíria.

Outra ação judicial que pode engordar os cofres municipais é a que cobra R$ 50 milhões pelos impactos da obra. O empreendimento foi executado em 1974, quando não era exigido EIA/Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental)
“Deixaram os troncos das árvores, tem parte que não tem condições de navegar quando a água abaixa”, relata José Rocha. Com a retirada da mata ciliar, a água avança provocando erosão.

Do lado de lá, tanta ventura – A dez quilômetros de Ilha Solteira, lado paulista do rio Paraná, Selvíria ficou no papel de prima pobre. A cidade de lá recebeu recursos, tem universidade e é a 18ª melhor do Brasil para se viver.

A identificação com São Paulo é tamanha, que os selvirenses adotaram o horário paulista, com uma hora a mais, e sempre se referem ao próprio Estado como Mato Grosso, expressão que costuma levantar protesto dos sul-mato-grossenses.

Cidade tem 6.427 habitantes e mantém hábitos paulista.  (Foto: João Garrigó)Cidade tem 6.427 habitantes e mantém hábitos paulista. (Foto: João Garrigó)

Selvíria ainda tem a pecuária como maior fonte de renda, mas a industrialização da outra vizinha, Três Lagoas, trouxe mudanças. “Antes, a Prefeitura mandava dois, três ônibus com servente de pedreiro para Ilha Solteira. Agora, os ônibus deles quem vêm para cá”, afirma o procurador José Rocha. Sem faculdade, a cidade destina 6% da receita para custear bolsa de estudo no ensino superior.

A chegada da Eldorado, que fica a 200 metros do município e emprega 2.500 pessoas, trouxe estímulos para o setor imobiliário. “Um terreno custava R$ 500 e não achava quem comprava. Hoje, ninguém vende por menos de R$ 8 mil, R$ 10 mil. A cidade praticamente zerou o déficit de emprego, reduzindo drasticamente a procura pelo setor de Assistência Social.

Durante bebedeira, homem é esfaqueado pela esposa em aldeia indígena
Homem de 43 anos foi esfaqueado pela própria esposa, uma mulher de 46 anos, na tarde deste domingo (25), por volta das 14h, na Aldeia Jarará, em Juti...
Adolescente é apreendido após decepar orelha de homem em aldeia
Um adolescente de 13 anos foi apreendido após decepar parte da orelha de um homem na noite de sábado (24) na aldeia Bororó em Dourados, a 233 km de C...



Enquanto a prefeitura não investir na cidade, vai continuar com cara de cidade abandonada,independente das empresas que se instalam lá....
 
Valquiria Diogo em 14/10/2013 07:26:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions