A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

27/09/2016 13:35

Após 17 anos, ponte sobre o Rio Paraná entre MS e SP será inaugurada

O novo trajeto foi criado para auxiliar no escoamento da produção de Mato Grosso do Sul com o Leste do País

Anny Malagolini
Obra da ponte teve início em 2012 (Foto: Reprodução)Obra da ponte teve início em 2012 (Foto: Reprodução)

Com atraso de pelo menos 17 anos, e ao custo de R$ 117 milhões, o governo federal deve inaugurar nesta quarta-feira (28), a ponte sobre o Rio Paraná e Três Lagoas - distante 338 km de Campo Grande-, até o município de Castilho, em São Paulo. A partir de amanhã, o acesso estre os dois Estados deixará de utilizar a cabeceira da Usina Hidrelétrica Jupiá.

A promessa é desafogar o tráfego na rodovia ao entorno da usina, isso porque, o novo trajeto foi criado para auxiliar no escoamento da produção de Mato Grosso do Sul com o Leste do País e diminuir o fluxo de veículos na barragem da usina de Jupiá, que até hoje, é única alternativa.

Para Cláudio Cavol, presidente do SETLOG/MS (Sindicato Das Empresas De Transporte Rodoviario De Cargas e Logística do Estado), a inauguração da ponte é o fim da espera de mais de uma década, e é recebida com "bom olhos" pela categoria. Isso porque, a nova ponte, segundo ele, além de acelerar o tempo do percurso irá oferecer mais segurança aos usuários. “Estava mais do que na hora dessa ponte se concretizar, vai oferecer mais segurança e agilidade. Era um perigo passar por ali”, comentou.

A estiva de fluxo de carga pesada pela usina, por dia, varia de mil a 1,5 mil, e a velocidade do percurso é de 40km/h. Cláudio informou ainda que na saída de Três Lagoas são transportados combustíveis, produtos industrializados e carnes. “Essa é a melhor saída para São Paulo, e os produtos mais caros passam por aqui”,

São 30,8 quilômetros de Três Lagoas até o município de Castilho, em São Paulo, e com a inauguração, o trânsito entre os estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo será absorvido pela ponte, que possui 1344 mts de extensão e cerca de 6600 mts de acessos. A pista tem acostamento e passarela para pedestres.

O engenheiro do DNIT, Milton Marinho, responsável pela obra, informou que está em contato com a Polícia Rodoviária federal, avaliando as condições operacionais da rodovia. O resultado dessa avaliação vai determinar a data e o horário da liberação da ponte para o tráfego de veículos. “Se a avaliação for positiva, pretendemos liberar o tráfego a partir das 13h de quarta-feira (28)”, disse Marinho.

O projeto é 1999, mas a obra só começou em junho de 2012. À época, a previsão de entrega era para abril de 2014 e foi adiada por pelo menos três vezes.Mas de acordo com o Dnit, a obra teve sua inauguração adiada em razão da readequação de projeto de construção de acessos, tendo em vista que o projeto inicial já tinha 12 anos.

No final do ano passado, as obras paralisaram novamente, mas em razão das fortes chuvas que atingiram o Estado no período. Além disso, o empreendimento enfrentou um bloqueio judicial que visava avaliar a adequação do orçamento destinado à obra., conforme esclareceu o Dnit. Os recursos do empreendimento são provenientes do PAC 2.

Inauguração - Sem o Presidente da República Michel Temer (PMDB), a inauguração será acompanhada pelo Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Mauricio Quintella, conforme informou a Superintendência Regional do DNIT no Estado de Mato Grosso do Sul.

Trecho da rodovia na usina de Jupiá (Foto: Reprodução/Perfil News)Trecho da rodovia na usina de Jupiá (Foto: Reprodução/Perfil News)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions