ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 18º

Interior

Após pressão de comunidade, polícia prende suspeitos de atirar em indígena

Por Ricardo Campos Jr. | 30/05/2015 10:27
Indígenas protestam por morte de índio em Miranda.(foto:Direto das Ruas)
Indígenas protestam por morte de índio em Miranda.(foto:Direto das Ruas)

Protesto da comunidade indígena Mãe Terra surtiu efeito e a polícia prendeu os irmãos José do Amaral Goes, 48 anos, e João Carlos do Amaral Goes, 47, suspeitos de atirar no terena Jolinel Leôncio, 29 anos. O caso aconteceu em Miranda, a 201 km de Campo Grande.

Segundo o boletim de ocorrência do caso, a dupla foi detida “visto que mais de cinquenta indígenas ameaçavam invadir a delegacia e ali atear fogo, bem como destruir o supermercado dos investigados exigindo que ambos fossem apresentados”.

Os Amaral, segundo a PM (Polícia Militar), são donos de uma fazenda ocupada pelos índios há dois anos. A vítima estava na propriedade quando foi baleada. Leôncio relata que os disparos partiram de uma caminhonete, mas não conseguiu ver quem eram os ocupantes e sequer anotar a placa.

Entretanto, ainda conforme a polícia, testemunhas garantem que o atentado foi obra de José e João Carlos.

O indígena foi transferido de um hospital local para Campo Grande, a PM não soube informar o estado de saúde do paciente. Ele está internado no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian, onde ele está internado. Na delegacia de Miranda, ninguém atendeu as ligações do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias