A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

28/05/2019 08:13

Casas de ex-prefeita e de ex-secretário são alvos da PF em ação contra fraude

Em um dos 21 lugares alvos de buscas hoje, a polícia encontrou mala cheia de maços de dinheiro.

Aline dos Santos
Dinheiro apreendido durante a operação Atalhos. (Foto: Divulgação/PF)Dinheiro apreendido durante a operação Atalhos. (Foto: Divulgação/PF)

A operação Atalhos, que se espalha por vários pontos de Três Lagoas nesta terça-feira (dia 28), foi à casa da ex-prefeita Márcia Moura e do ex-secretário de Educação, Mário Grespan. De acordo com a Rádio Caçula, ele foi levado para prestar esclarecimentos. 

Já em frente a casa da ex-prefeita há uma viatura descaracterizada. Outra viatura da PF (Polícia Federal) está posicionada em frente à prefeitura de Três Lagoas.

Também são realizadas buscas na Secretaria de Educação, com apreensão de material relacionado aos últimos cinco anos. O alvo da operação, em parceria com a CGU (Controladoria-Geral da União), é fraude em licitações do transporte escolar.

Os 21 mandados de busca e apreensão serão cumpridos em Três Lagoas, Campo Grande e Naviraí, além das cidades de Luiz Antônio e Americana, no interior de São Paulo.

Nas primeiras horas da ação, foi apreendida grande quantidade de dinheiro “vivo”. Um das fotos já divulgadas pela Polícia Federal mostra uma bolsa com maços de notas de R$ 100,00 e R$ 50,00.

Esquema - As investigações apontam ilegalidade em três procedimentos licitatórios relacionados ao transporte escolar, com recursos federais do PNATE (Programa Nacional de Transporte Escolar), entre 2015 e 2017. Agentes públicos e empresários participavam das licitações para que fossem vencidas por empresas pré-estabelecidas.

As licitações e contratos públicos sob investigação somam R$ 12 milhões, sendo identificado sobrepreço R$ 1,6 milhão devido aos direcionamentos. Na operação, 13 investigados foram intimados para comparecerem às delegacias da Polícia Federal no Mato Grosso do Sul e em São Paulo.

A operação recebeu o nome de “Atalho” em alusão a um caminho mais curto, porém igualmente ilegal, entre o objeto da licitação, a prestação de serviços de transporte escolar e as fraudes praticadas pelos investigados.

Viatura da Polícia Federal em frente à prefeitura d Três Lagoas. (Foto: Rádio Caçula)Viatura da Polícia Federal em frente à prefeitura d Três Lagoas. (Foto: Rádio Caçula)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions