ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Citado como réu, ex-vereador de Naviraí responde a 6 ações e foi condenado em 1

Em ação citada em matéria publicada ontem, o ex-vereador Elias Alves não figura como parte denunciada

Por Lucia Morel | 28/11/2023 15:39
Policiais federais ocupam o prédio da Câmara de Vereadores de Naviraí para recolher documentos e computadores, em 2014. (Foto: Divulgação/PF)
Policiais federais ocupam o prédio da Câmara de Vereadores de Naviraí para recolher documentos e computadores, em 2014. (Foto: Divulgação/PF)

O Campo Grande News informou na matéria “TJ mantém decisão contra ex-vereadores por improbidade”, já corrigida, que o ex-vereador da cidade de Naviraí, Elias Alves, era um dos condenados. Entretanto, na ação citada na matéria, ele não figura como réu.

Assim como os dois ex-vereadores citados no material, Cícero dos Santos e Gean Carlos Volpato, Elias responde a ação por improbidade administrativa por fraude em diárias, alvo da Operação Atenas, da Polícia Federal, em 2014. Diante dos 18 réus decorrentes da operação, ações foram desmembradas para facilitar as decisões.

Elias ainda responde outras seis denúncias do Ministério Público: duas ações penais por peculato; duas ações civis por violação dos princípios administrativos e por enriquecimento ilícito; e ação penal por corrupção passiva.

Em uma delas, a de improbidade, decisão de primeiro grau de 2021 determinou a devolução de R$ 315 mil. Parte desse valor, R$ 165 mil, corresponde às penas por dano moral coletivo, outros R$ 75 mil em multas civis e mais R$ 75 mil em ressarcimento ao erário.

Elias está entre estes junto com Cícero dos Santos, Mainara Géssica Malinski, Adriano José Silvério, Gean Carlos Volpato e José Odair Gallo. Quanto a Elias, a sentença é de que “pela análise do conjunto probatório dos autos em relação ao réu Elias Alves, entendo que suas condutas enquadram-se em atos de improbidade administrativa que importaram em enriquecimento ilícito”. Ele recorreu da decisão, mas o procedimento ainda não foi julgado em segundo grau.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também