A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/12/2015 18:35

Com buraco na estrada, moradores fazem “baldeação” entre duas cidades

Moradores de Amambai e Coronel Sapucaia cruzam cratera aberta pela chuva a pé e pegam carona do outro lado para seguir viagem

Helio de Freitas, enviado especial a Amambai
Sul-mato-grossenses e até paraguaios cruzam a pé buraco aberto na MS-289, entre Amambai e Coronel Sapucaia (Foto: Eliel Oliveira)Sul-mato-grossenses e até paraguaios cruzam a pé buraco aberto na MS-289, entre Amambai e Coronel Sapucaia (Foto: Eliel Oliveira)
Em outro ponto da rodovia, asfalto começa a desmoronar (Foto: Eliel Oliveira)Em outro ponto da rodovia, asfalto começa a desmoronar (Foto: Eliel Oliveira)

Um fato inusitado está acontecendo desde sexta-feira (4) em Amambai, a 360 km de Campo Grande. Sem ter acesso de Amambai para Coronel Sapucaia, e vice-versa, já que a estrada que liga as duas cidades está interditada por uma cratera aberta pela chuva, os moradores da região, e até do Paraguai, deixam o veículo de um lado, cruzam o buraco a pé e seguem em outro carro, geralmente de carona, com um amigo ou parente.

No local existia um aterro, com tubos de concreto embaixo do asfalto, mas a força da água abriu uma enorme vala na estrada e nas lavouras de soja das proximidades e levou um pedaço da rodovia.

A baldeação – transferência de passageiros ou de mercadorias de um veículo para outro – ocorreu durante todo este sábado. O Campo Grande News esteve no bloqueio provocado pela erosão, que abriu uma cratera no meio da MS-289, a 15 km de Amambai e a 45 de Coronel Sapucaia.

De acordo com o prefeito de Amambai, Sérgio Diozebio Barbosa (PMDB), o buraco foi aberto durante a chuva recorde desta sexta-feira, que chegou a pelo menos cem milímetros em quatro horas de temporal.

O município sofre com a chuvarada há 20 dias e 12 pontes já foram levadas pela água ou estão com a estrutura comprometida. Segundo ele, serão necessários pelo menos R$ 10 milhões para construir pontes novas e recuperar as estradas vicinais.

Baldeação – Quando a equipe de reportagem que esteve neste sábado em Amambai se aproximava do bloqueio, uma movimentação anormal de veículos chamou a atenção. Vários carros estavam parados nos dois lados da pista, entre eles alguns com placas do Paraguai.

“Estamos atravessando a pé, um carro nos trouxe de Coronel Sapucaia até aqui, passamos pelo buraco e vamos seguir em outro veículo, para Ponta Porã”, disse em “portunhol” uma paraguaia que conversou rapidamente com o prefeito de Amambai e entrou numa caminhonete.

Maikell Ruiz Martins deixava o bloqueio, onde foi levar a sogra, que voltava de uma viagem ao Paraná. “Ela mora em Coronel Sapucaia. Ontem voltou do Paraná com minha mulher, mas não conseguiu chegar em casa. Passou a noite e Amambai e agora a deixamos aqui, ela atravessou a pé e outro carro a levou do outro lado”, contou ele ao Campo Grande News.

Várias outras pessoas fizeram o mesmo para conseguir chegar em casa. Carros foram deixados em propriedades rurais próximas do local. Como chegaram ao bloqueio e tiveram de atravessar a pé, os donos guardaram os veículos nas fazendas e seguiram viagem de carona.

De acordo com Sérgio Barbosa, a estrada velha, que antes do asfalto da MS-289 era a ligação entre as duas cidades, também está interditada depois que a água levou a ponte de madeira sobre o Rio Jaguí. Doze pontes foram destruídas pela chuva nesta semana em Amambai.

Sul-mato-grossenses e até paraguaios cruzam a pé buraco aberto na MS-289, entre Amambai e Coronel Sapucaia (Foto: Eliel Oliveira)Sul-mato-grossenses e até paraguaios cruzam a pé buraco aberto na MS-289, entre Amambai e Coronel Sapucaia (Foto: Eliel Oliveira)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions