A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

29/11/2016 11:36

Douradenses são investigadas em operação da Polícia Federal no MT

Duas moradoras de Vila Vargas foram levadas à delegacia para prestarem depoimento; PF também fez buscas na casa de suspeitos

Helio de Freitas, de Dourados
Policiais federais cumprem mandados em Primavera do Leste, no MT (Foto: Divulgação)Policiais federais cumprem mandados em Primavera do Leste, no MT (Foto: Divulgação)

Duas moradoras do distrito de Vila Vargas, em Dourados, a 233 km de Campo Grande, estão entre as pessoas investigadas pela Operação IXTAB, desencadeada pela Polícia Federal em Barra do Garças (MT) para desmantelar uma quadrilha de contrabandistas de cigarro.

De acordo com a PF, a duas foram conduzidas hoje para prestarem depoimento na delegacia em Dourados e depois liberadas. Os policiais federais também cumpriram um mandado de busca em apreensão na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

A operação IXATB tem como foco a organização criminosa que atua no contrabando de cigarros e lavagem de dinheiro em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás. Nos outros dois estados estão sendo cumpridos 12 mandados de prisão e 46 de busca e apreensão.

Conforme a Polícia Federal, as investigações tiveram início em 2015, após a prisão em flagrante de dois suspeitos pela Polícia Civil em Barra do Garças.

Negócio milionário – Eles foram surpreendidos transportando 36 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai e tinham anotações financeiras que revelaram uma movimentação de R$ 1 milhão somente no ano passado.

Ainda conforme a PF, a organização criminosa possui estrutura ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas e movimentou pelo menos R$ 20 milhões no período de novembro de 2015 a novembro de 2016.

O grupo mantinha um imóvel que servia como base operacional no distrito de Vila Vargas, local onde os envolvidos passavam a noite com a carga de contrabando para seguir viagem no dia seguinte. Motoristas e batedores a serviço dos grandes compradores faziam as viagens ao Paraguai para aquisição de cigarros.

"Ixtab" é uma referência à deusa maia considerada a guardiã dos suicidas. O nome foi usado pelo fato de os fumantes cometerem uma forma lenta de suicídio ao consumirem cigarros importados ilegalmente do Paraguai.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions