A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 27 de Março de 2017

24/03/2011 07:26

Governo federal reconhece situação de emergência em MS

Ítalo Milhomem
BR-158, entre Cassilândia e Paranaíba. (Foto: Jornal Tribuna Livre)BR-158, entre Cassilândia e Paranaíba. (Foto: Jornal Tribuna Livre)

O governo federal por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil reconheceu a situação de emergência em parte do Estado de Mato Grosso do Sul em virtude das fortes chuvas que aconteceram no Estado nos últimos meses e que causaram enchentes ou inundações graduais gerando enormes prejuízos.

De acordo com chefe da Defesa Civil Estadual, Coronel Ociel Ortiz, o governo fez dois decretos, um desses, que foi reconhecido hoje pelo governo federal é referente a locais em que as rodovias e pontes foram destruídas por conta das chuvas.

“Existe um mapa no processo que está em Brasília, que mostra todas as estradas e a quilometragem e pontes destruídas. São 1.170 quilômetros de estradas danificadas, que custaram R$ 80 milhões para os reparos. Outros R$ 35 milhões foram solicitados ao governo federal para construção de 35 pontes de concreto, que foram destruídas ou danificadas pelas chuvas totalizando o prejuízo de R$ 115 milhões, somente na questão estrutural”, afirma Ociel.

Segundo Ociel, 21 municípios já decretaram o reconhecimento de situação de emergência e outros ainda estudam a possibilidade, a expectativa que os pedidos cheguem a 25 municípios nesta situação.

“Somente nos municípios que já contabilizaram os prejuízos e estão quantificados nos processos que estão em Brasília ultrapassam R$ 100 milhões. O governo federal já reconheceu a situação de emergência nos municípios de Anastácio, Dois Irmãos e Ivinhema. Outros processos ainda estão em análise e até a próxima semana, todos os processos devem ser reconhecidos pela Defesa Civil Federal”, explica o chefe da Defesa Civil .

Sem-Terra invadem usina de Bumlai e prometem atear fogo se polícia intervir
Grupo de trabalhadores rurais ligados ao MSTB (Movimento Sem-Terra do Brasil) invadiram na manhã desta segunda-feira (27) a Usina São Fernando, em Do...
Motociclista de 60 anos morre após ser atingida por carro em cruzamento
A motociclista Wany Meire Batista de Oliveira, 60 anos, morreu após ser atingida por um veículo, no final da tarde de domingo (26). O acidente aconte...
Durante bebedeira em bar, homem é esfaqueado e morre no hospital
Homem de 58 anos morreu após ser atingido com um golpe de canivete na região do tórax, por volta das 22h de domingo (26), em um bar de Cristalina, di...



Os politicos brasileiros deviam tomar de exemplo o Japão, chora pouco e trabalha muito vejam essa reportagem, http://g1.globo.com/tsunami-no-pacifico/noticia/2011/03/japao-reconstroi-rodovia-destruida-por-terremoto-em-apenas-seis-dias.html
 
Pedro Fernandes em 24/03/2011 10:59:00
Enquanto no Japão as estradas(após os tsunami e terremoto) são arrumadas em apenas seis dias.... aqui no Brasil se vão meses ou então anos!!!

Isso é o Brasil!!!
 
Lucas Cabrera em 24/03/2011 03:36:49
O Japão arrumou 150 m de rodovia em 6 dias e com uma qualidade tão alta que nem parece que foi destruída pelo terremoto. Vamos ver quanto tempo os políticos brasileiros levam pra arrumar as nossas estradas e a qualidade final dos trabalhos.
 
Bruno Nodes em 24/03/2011 01:36:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions