A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

01/10/2016 12:24

Homem é assassinado e polícia desconfia que testemunhas esconderam detalhes

Ricardo Campos Jr.

Almir Claro Miranda, 30 anos, foi morto a facadas durante a madrugada deste sábado (1º) em Água Clara, a 198 quilômetros de campo Grande. Segundo informações do boletim de ocorrência, o suspeito foi identificado como Carlos Jota Domingues, 26 anos, que fugiu e não foi encontrado pela polícia.

Conforme o registro, pouco antes do crime, a vítima estava bebendo com o suspeito e o irmão dele, qualificado como testemunha e identificado apenas como João, em um bar no município.

Em um determinado momento, Almir decidiu ir embora. A dupla resolveu segui-lo. O investigador responsável pelo boletim percebeu que havia acontecido alguma coisa no estabelecimento que a testemunha escondeu, mas não chegou a questioná-la sobre isso.

João conta que ao chegar na residência, ele ficou do lado de fora enquanto o irmão entrou e começou a discutir com Almir. A vítima saiu e percebeu que a testemunha estava do lado de fora ouvindo o que se passava no interior do imóvel e começou a provocá-la.

Carlos então pegou uma faca e feriu Almir. João diz que tentou impedir o irmão, mas teve a mão cortada pela lâmina.

Em seguida, a esposa da vítima, identificada como Roseli, apareceu na cena do crime. Ela disse que havia acabado de acordar. No entanto, os investigadores contestam a versão, pois, segundo eles, é improvável que ela não tenha ouvido o barulho da briga, que aconteceu perto do quarto onde ela estava.

Depois de esfaquear Almir, Carlos Fugiu. A Polícia Civil acionou peritos de Três Lagoas, que atende o município vizinho, mas as equipes disseram que só poderiam ir até o local às 7h, quando já teria passado muito tempo após o homicídio.

Assim, os próprios policiais civis tiraram fotos e colheram o máximo de provas possíveis para ajudar nas investigações, já que deixar o cadáver por tanto tempo no local seria uma forma de constrangimento para Roseli, que mora no imóvel.

Equipes foram atrás de Carlos, mas não o encontraram. O caso foi registrado como homicídio simples.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions