A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

20/06/2016 10:58

Índio ferido em ataque tem alta e outro passa por segunda cirurgia

Homem de 29 anos foi operado pela segunda vez ontem em hospital de Dourados e outro, de 43, recebeu alta no sábado

Helio de Freitas, de Dourados
Índios em local onde ocorreu confronto, na terça-feira passada (Foto: Helio de Freitas)Índios em local onde ocorreu confronto, na terça-feira passada (Foto: Helio de Freitas)

Dos seis índios feridos a tiros durante ataque feito por fazendeiros e seguranças armados, na terça-feira (14) de manhã, no município de Caarapó, a 283 km de Campo Grande, dois já tiveram alta e quatro permanecem internados no Hospital da Vida, em Dourados. Durante o ataque, ocorrido na fazenda Yvu, ocupada pelos índios no domingo (12), o agente de saúde indígena Clodioudo Aguile Rodrigues dos Santos, 26, foi morto a tiros.

A professora Katalina, que estava internada no Hospital São Mateus, em Caarapó, teve alta ainda na quinta-feira (16). Já Libésio, de 43 anos, transferido no dia do ataque para Dourados, teve alta no sábado.

Permanecem internados no Hospital da Vida o garoto Josiel, de 12 anos de idade, Norivaldo, de 37, Valdilho, de 26, e Jesus de Souza, 29.

De acordo com a direção do hospital, Jesus teve piora do quadro e sofreu nova intervenção cirúrgica, no domingo, mas no momento encontra-se estável.

O superintendente do hospital, enfermeiro Genivaldo Dias da Silva, disse que todos os cinco atendidos em Dourados sofreram ferimentos de tiros.

“A criança e mais um indígena adulto tiveram que passar por uma cirurgia de laparotomia, que é a abertura do tórax. Cada um estava com uma bala alojada e tiveram comprometidos estômago, fígado e intestino”, afirmou.

Outro paciente que passou por processo cirúrgico estava com uma bala alojada no tórax e foi preciso fazer uma drenagem torácica. As outras duas vítimas estão com balas alojadas no corpo, mas sem necessidade de intervenção cirúrgica, já que os projéteis não causam nenhum risco à saúde deles.

Segundo o enfermeiro, um ficou com uma bala alojada no tórax e o outro levou um tiro de raspão na cabeça e está com uma bala no quadril, uma no ombro e a outra no tórax.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions