A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

30/05/2019 10:16

No Sul, rodovia é liberada por estudantes após 4 horas de protesto

Acadêmicos da UFGD ganharam apoio de trabalhadores e estudantes indígenas que protestaram contra reforma da Previdência

Helio de Freitas, de Dourados
Estudantes atearam fogo em pneus e galhos durante bloqueio da Avenida Guaicurus (Foto: Direto das Ruas)Estudantes atearam fogo em pneus e galhos durante bloqueio da Avenida Guaicurus (Foto: Direto das Ruas)

Após quatro horas de protesto, estudantes da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) liberaram a Avenida Guaicurus, bloqueada parcialmente nesta quinta-feira (30) em Dourados, no Dia Nacional em Defesa da Educação e contra os cortes do governo federal.

O bloqueio começou por volta de 6h. Com pneus e galhos, os acadêmicos interditaram a pista do sentido leste-oeste, que liga a região do Parque Alvorada à Cidade Universitária, onde ficam os campi da UFGD e da Uems.

Os manifestantes chegaram a colocar fogo nos galhos e pneus, provocando uma nuvem de fumaça. Temendo consequência no Aeroporto Francisco de Matos Pereira, o Corpo de Bombeiros foi chamado para apagar o fogo.

Trabalhadores e estudantes indígenas aderiram ao protesto em defesa da educação e contra a proposta de reforma da Previdência, outro projeto colocado na pauta do Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro.

A Avenida Guaicurus é um trecho de 12 km da MS-162, e também dá acesso à 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada do Exército, a empresas e propriedades rurais, ao aeroporto municipal e aos distritos de Itahum e Picadinha.

A UFGD foi a terceira instituição mais afetada pelos cortes em todo o país. Foram R$ 12,4 milhões do custeio e R$ 19 milhões de emenda parlamentar para investimentos.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions