ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Operação da Receita Federal fecha rotas do contrabando em MS

Trabalho começou hoje e atinge linha internacional com o Paraguai e a Bolívia

Helio de Freitas, de Dourados | 10/10/2022 11:55
Viaturas sendo abastecidas antes do início da operação, hoje cedo (Foto: Leandro Holsback/Alerta Dourados)
Viaturas sendo abastecidas antes do início da operação, hoje cedo (Foto: Leandro Holsback/Alerta Dourados)

A Receita Federal do Brasil iniciou megaoperação de combate ao contrabando e descaminho na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia. Denominada “Fronteira Legal”, a operação envolve várias equipes e terá ações nas cidades e barreiras nas estradas.

O centro logístico da Operação Fronteira Legal foi montado na 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada no Exército em Dourados, a 251 km de Campo Grande, para onde estão sendo levados os produtos apreendidos.

No local, será feita a triagem da mercadoria para depois ser enviada para os depósitos da Receita em Campo Grande, Corumbá (fronteira com a Bolívia) e Ponta Porã (fronteira com o Paraguai).

Ao Campo Grande News, o coordenador da operação em Dourados, Raphael Eugênio de Souza, informou que a ideia é reforçar o combate aos ilícitos de fronteira e fortalecer a integração, permitindo que as forças policiais possam priorizar a repressão ao tráfico de drogas e de armas.

Mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Corumbá em locais mapeados anteriormente pela Receita Federal. Já na região de Dourados-Ponta Porã, o trabalho inclui barreiras nas estradas, com apoio da polícia.

Mato Grosso do Sul e Paraná são as principais rotas do contrabando que entra no Brasil através do Paraguai. A maior parte dos produtos vem da China, mas o líder em apreensões no Brasil, o cigarro, é fabricado em território paraguaio e responde por quase 40% de todos os produtos contrabandeados apreendidos pela Aduana brasileira.

Nos siga no Google Notícias