ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 11º

Cidades

Fiscalização apreende mais de 4 mil toneladas de produtos agropecuários ilegais

Produtos foram apreendidos, em Mato Grosso do Sul, pelo DOF e Iagro

Guilherme Correia | 16/09/2022 23:06
Sede doIagro, em Mato Grosso do Sul; agência foi um dos órgãos que participou da fiscalização. (Foto: Reprodução)
Sede doIagro, em Mato Grosso do Sul; agência foi um dos órgãos que participou da fiscalização. (Foto: Reprodução)

Durante a Operação Ronda Agro XXIV do Vigifronteira (Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária para Fronteiras Internacionais), conjunto de órgãos federais apreendeu toneladas de produtos agropecuários vendidos de forma clandestina ou irregular em Mato Groso do Sul.

Em território estadual, a fiscalização ocorreu em dois estabelecimentos atacadistas, onde foram apreendidos 4.470 kg de queijos; 2,7 mil unidades de ovos; 83 litros de leite; 4 kg de frango congelado; 32 kg de apresuntado; 18 kg de bacon; 15 kg de calabresa; 52 kg de requeijão e 17 kg de bebidas lácteas.

A operação foi realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em conjunto com a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do Mato Grosso do Sul), Receita Federal, além da Polícia Militar do Estado de São Paulo e o DOF (Departamento de Operações de Fronteira do Estado do Mato Grosso do Sul).

No estado de São Paulo, foram fiscalizados dois estabelecimentos de distribuição de produtos de origem animal, sendo apreendidos 2.274,83 quilos de produtos cárneos impróprios para alimentação humana.

Segundo o ministério, esse material apreendido era importado de forma clandestina do Paraguai e da Argentina. Com a operação, o prejuízo aos vendedores foi estimado em R$ 506,5 mil.

Durante a operação, uma pessoa foi presa em flagrante pelo crime de contrabando. Também foram lavrados um auto de infração, dois termos de apreensão e um termo de condenação.

(*) Com informações da Agência Brasil.

Nos siga no Google Notícias