A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 24 de Agosto de 2019

27/10/2018 10:10

Reinaldo investiu R$ 6,8 milhões no Carnaval e Fasp em Corumbá

Marta Ferreira
O desfile dos blocos oficiais. (Foto: Divulgação)O desfile dos blocos oficiais. (Foto: Divulgação)

Nesses quatro anos, o apoio do Governo do Estado ao carnaval de Corumbá, um dos melhores do interior do Brasil, e no Festival América do Sul Pantanal (Fasp), foram determinantes para valorizar os movimentos populares, a vocação turística e a história da cidade. Foram investidos R$ 5,8 milhões nos dois megaeventos, sendo R$ 3,840 milhões somente em 2018. Os repasses do governo para do carnaval da Capital e interior somaram R$ 3,5 milhões em 2015-2018.

Nenhum outro governo comprometeu-se com a cultura pantaneira e fronteiriça como a gestão de Reinaldo Azambuja, afirmam carnavalescos e gestores culturais. O aporte financeiro destinado pelo Estado, de 2015 para cá, foi fundamental para consolidar o carnaval local como maior folia de Mato Grosso do Sul e resgatar o Fasp, que não se resumiu a shows, mas em um fórum de debate de questões políticas, sociais e culturais da América Latina.

Os investimentos da Fundação de Cultura e Cidadania de MS na realização do Fasp em Corumbá, nesse governo, somam mais de R$ 5,327 milhões. Desse total, R$ 3,400 milhões foram aplicados no ano de 2018 em uma edição histórica do festival, onde a tônica foi o exercício dos valores do respeito, da democracia e da paz. O Fasp reuniu, de 21 a 27 de maio, 11 países e integrou toda a comunidade fronteiriça Brasil-Bolívia-Paraguai com 200 atrações.

“O Festival América do Sul ganhou uma nova dimensão, a maturidade, cumprindo seu papel de revelar os valores da transformação por meio da cultura”, disse o secretário estadual de Cultura e Cidadania, Athayde Nery. “Mantivemos a programação voltada para a dança, teatro, circo, shows e artes, mas envolvemos também a população, os intelectuais e os gestores em uma grande discussão sobre a integração, a cidadania sem fronteiras e sem desigualdades.”

A 14ª edição do Fasp, construída a partir de audiências públicas com a comunidade local, debateu temas importantes, como as questões LGBT, indígenas e das mulheres negras, envolvendo as cidades de Corumbá e Ladário e as bolivianas Puerto Quijarro e Puerto Suárez. Cerca de 60 mil espectadores prestigiaram o festival, superando as edições de 2015 e 2016, que tiveram, respectivamente, um público de 40 mil e 35 mil espectadores.

O bloco de Frevo também é uma das atrações do Carnaval Cultural. (Foto: Divulgação)O bloco de Frevo também é uma das atrações do Carnaval Cultural. (Foto: Divulgação)
O Presidente da Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá) José Martinez. (Foto: Divulgação)O Presidente da Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá) José Martinez. (Foto: Divulgação)

Profissionalizar o carnaval

Para Reinaldo Azambuja, injetar R$ 1,250 milhões no carnaval corumbaense em quatro anos é investimento, considerando que cada R$ 1 aplicado tem retorno de R$ 7 com o aquecimento da economia local por meio do turismo, comércio e geração de emprego e renda. A folia de 2018 movimentou R$ 14 milhões atraindo 8.568 turistas, segundo a prefeitura. Parte dos recursos foi destinado também ao carnaval de Ladário (R$ 200 mil), cidade vizinha.

“É uma das maiores festas do Estado e do País e o Governo do Estado estará sempre apoiando o carnaval de Corumbá”, afirmou o secretário Athayde Nery. Ele garantiu que o Estado manterá os investimentos para os próximos anos e buscará a captação de recursos na iniciativa privada. “O apoio empresarial será fundamental para a profissionalização do carnaval e introduzir Corumbá no circuito nacional dos grandes festejos momescos”, completou.

Os repasses do Estado em 2015-2018, segundo o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá (Liesco), José Martinez, ajudaram as entidades carnavalescas na realização de um carnaval de rua de alto nível. “O ponto alto do nosso carnaval é o desfile das escolas de samba e o apoio do governo foi fundamental para promovermos espetáculos à altura, atraindo mais de 50 mil pessoas à passarela do samba”, disse Martinez.

O dirigente da Liesco ressaltou que nenhum outro governo apoiou o carnaval na proporção de recursos destinados pela gestão de Reinaldo Azambuja. Em 2018, R$ 440 mil foi liberado às dez escolas de samba e 14 blocos e custeio dos shows nacionais e da estrutura de camarotes, arquibancadas e sonorização na Avenida General Rondon, local do desfile. “O governador Reinaldo mostrou sensibilidade ao apostar no carnaval de Corumbá”, pontuou o carnavalesco.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions