A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

21/08/2013 15:18

Jovem desaparecido e irmão foram presos por policiais de Brasília e de MS

Edivaldo Bitencourt e Viviane Oliveira
Preso (de camiseta azul listrada) suspeito por tráfico foi dado como desaparecido. (Foto: Cleber Gellio)Preso (de camiseta azul listrada) suspeito por tráfico foi dado como desaparecido. (Foto: Cleber Gellio)

Aguino Silva Cruz, 31 anos, que desapareceu após ser retirado de casa por homens fortemente armados que se identificaram como policiais, e o irmão, Aldo Silva da Cruz, 28, foram presos por determinação da Justiça do Distrito Federal. Policiais civis vieram especialmente de Brasília para prender a dupla em Campo Grande.

Conforme o delegado titular da Denar (Delegacia Especializada em Repressão ao Narcotráfico), Rodrigo Guiraldelli Yassaka, os dois tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça de Brasília.

Dez policiais vieram da Capital federal especialmente para prender os irmãos. O caso chamou a atenção porque a esposa de Aguino, Lucilene de Moura Costa, 40 anos, registrou boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do marido. Ela alegou que ele tinha sido raptado de casa por seis homens fortemente armados que se diziam policiais, mas não comprovaram serem da Polícia Civil.

Agora, segundo Yassaka, Lucilene pode ser indiciada por falsa comunicação de crime. Ela sabia que o marido foi retirado da casa, no Bairro Aero Rancho, porque teve a prisão preventiva decretada pela Justiça por tráfico de drogas.

Delegado explica que homem não está desaparecido. (Foto: Cleber Gellio)Delegado explica que homem não está desaparecido. (Foto: Cleber Gellio)

Os irmãos Cruz caíram na Operação 060, deflagrada há cerca de 50 dias pela Polícia Civil de Brasília. A Polícia não informou qual a ligação dos dois com o tráfico de drogas.

Na Capital, Aguino e o irmão, Aldo, que foi preso em casa no Jardim Mato Grosso, também possuem passagem na polícia por receptação de produtos roubados.

O advogado dos irmãos, Claudionor Chaves, afirmou que o mandado de prisão foi expedido há 15 dias. Ele defendeu Lucilene. O advogado explicou que ela só fez o boletim de ocorrência porque os policiais não informaram para onde levaram os Aldo e Aguino.

Eles vão ser transferidos para Brasília nos próximos dias. Yassaka alegou que não pode dar mais informações porque o caso segue em segredo de Justiça.

Jovem desaparece após ser levado por seis supostos policiais armados
Uma mulher de 30 anos procurou a polícia no fim da noite de ontem (20) para denunciar o desaparecimento de um jovem de 28 anos. Conforme relato à pol...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Concordo plenamente com o Sr Carlos, a esposa do individuo devera responder conforme a lei. Na maioria das vezes as esposas sabem o que seus esposo fazem, principalmente quando aparecem com muito dinheiro e não trabalham. Fica a dica!!
 
Yasmin Age em 22/08/2013 14:07:37
Edy Gomes, você simplesmente disse tudo, bem informado garoto.
 
Neyde de Oliveira em 22/08/2013 12:14:06
Sinceramente, onde vocês estão vendo "falso comunicado", ela simplesmente se dirigiu até a delegacia e relatou o ocorrido e com fidedignidade de informações, sendo que caberia a quem registrou o boletim de ocorrência verificar junto ao SIGO e INFOSEG, onde deveria constar o mandado de prisão, e falar: "senhora era a policia mesmo, seu marido esta preso nas mãos de autoridades policiais e seguro (kkk)" Pronto, seria um BO a menos... não existiu falsa comunicação de crime, onde se comunica a ocorrência de um crime que não existiu, e na linguagem popular "sequestro" significa ser levado... Até presos falam que foram "sequestrados" de dentro de presidio, quando na verdade foram levados para investigação ou diligência.
 
Edy Gomes em 22/08/2013 08:13:34
Parabéns ao campograndenews por ter inserido essa nova reportagem. Ontem quando a primeira reportagem foi posta, algumas pessoas colocaram em duvida as instituições, PM e PC. Precisamos nos ater as informações e os órgãos de imprensa, sem querer ofender, precisam buscar os dados corretos para que não incentivem na mídia social virtual, discussões banais como a que temos visto. Claro que em todas as instituições PM e PC há maus policiais, todavia é muito lamentável quando vemos todos são inseridos na mesma vala. Abraços, e para terminar insiro o final da reportagem "O advogado explicou que ela só fez o boletim de ocorrência porque os policiais não informaram para onde levaram os Aldo e Aguino". Ela tem que ser processada pelo ato desonesto.
 
carlos santos em 22/08/2013 08:11:35
A "esposa" do meliante tem que responder na forma da lei pelo falso comunicado.
 
Carlos Roberto em 21/08/2013 16:20:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions