A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

28/05/2018 11:33

Lideranças divergem sobre o fim da greve dos caminhoneiros em MS

Setlog acredita em desmobilização total até o fim desta segunda-feira (28)

Danielle Valentim
Imagens de caminhão-tanque entrando em uma das distribuidoras de combustíveis de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)Imagens de caminhão-tanque entrando em uma das distribuidoras de combustíveis de Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

As manifestações de caminhoneiros em Mato Grosso do Sul chegaram ao 8º dia e a continuação ou fim dos protestos ainda não estão definidos. Há liderança confirmando a permanência dos motoristas nas estradas, mas também quem acredite em desmobilização total até o fim desta segunda-feira (28).

A situação ocorreu mesmo depois do presidente Michel Temer anunciar medidas como tentativa de acordo. Ao menos em MS, os grupos que ocupam pacificamente diversos pontos do estado, aguardam um posicionamento oficial da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros).

O presidente do Setlog (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul) Cláudio Cavol mantém a expectativa de que os pontos de manifestações e de bloqueios sejam desfeitos. "Nem todo mundo está rodando, mas porque também não adianta sair de um ponto e acabar parando a 50 ou 60 quilômetros de distância. Espero que até amanhã um acordo seja feito", declarou.

“Ainda não há atualizações de informações, mas acredito que até o fim do dia a desmobilização desocupe todas as rodovias”, diz Cláudio Cavol.

Já o representante dos caminhoneiros autônomos no Estado, Osni Belinati, do Sindicargas (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Cargas), confirmou a continuação da paralisação. “A manifestação continua, os motorista continuam nas rodovias e não querem sair”, disse.

Pontos bloqueados - A greve nacional dos caminhoneiros contra os aumentos sucessivos do diesel - que entrou hoje no 8º dia consecutivo - tem 50 pontos de bloqueios parciais em Mato Grosso do Sul, sendo 19 em rodovias federais e 32 em estaduais. 

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), há paralisação na BR-262, BR-267, BR-060, BR-158 e BR-163. A CCR MSVia, concessionária que administra a BR-163, informou pontos de manifestação em Mundo Novo (km 20), Eldorado (km 39), Naviraí (km 117), Juti (km 172), Caarapó (km 206 km 236), Dourados (km 256 km 266 km 281), Rio Brilhante (km 323), Nova Alvorada do Sul (km 373), Campo Grande (km 462 km 477 km 492), Bandeirantes (km 550), São Gabriel do Oeste (km 614), Rio Verde de Mato Grosso (km 678), Coxim (km 730), Sonora (km 812 km 837). O tráfego para veículos de passeio está liberado.

De acordo com a PRF, há um esvaziamento de manifestantes, porém ainda há pontos de bloqueios. A polícia mantém corredores para a circulação de transporte de animais vivos, gêneros alimentícios, equipamentos essenciais como medicamentos, combustíveis e outras cargas sensíveis, além de prestação de apoio aos manifestantes durante a desmobilização no intuito de garantir a segurança de todos os usuários das rodovias federais.

“Os caminhoneiros que quiserem escoltas para saírem dos locais em que estão presos devem ligar para 191. As empresas que precisarem sair dessas interdições também podem entrar em contato pelo telefone de emergência. Até na noite de ontem (27) a PRF em conjunto com Exército Brasileiros realizou 21 escoltas ”, disse o inspetor Tércio Baggio.

A PMRE (Polícia Militar Rodoviária Estadual) ainda não divulgou os pontos de manifestação nas rodovias estaduais



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions