A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

16/06/2017 15:53

Mesmo com friozinho, público chega a Bonito para ouvir blues e jazz

Moradores e turistas aproveitaram apresentações de músicos regionais, influenciadas por clássicos do rock. Evento segue até sábado (17).

Anahi Gurgel
Anderson Rocha e sua guitarra inflamada foi uma das atrações na primeira noite do festival em Bonito. (Fotos: Gilson Rocha)Anderson Rocha e sua guitarra "inflamada" foi uma das atrações na primeira noite do festival em Bonito. (Fotos: Gilson Rocha)

Guitarras inflamadas, som “experimental”, muito improviso e um pouquinho de frio marcaram a primeira noite da 4ª edição do Festival de Jazz e Blues de Bonito, que teve início ontem em estrutura montada no CMU (Centro de Múltiplo Uso) do município.

Este ano, o festival, que ocorria entre os meses de outubro e novembro, foi antecipado para coincidir com o feriado de Corpus Christi. 

"A intenção sempre foi fazer o evento nesse período, até mesmo para atrair as pessoas e incrementar o turismo nessa época de baixa temporada. Acredito que 60% do público veio de fora da cidade prestigiar o festival", diz Afonso Ramão Rodrigues Junior, um dos organizadores.

Cerca de 400 pessoas participaram da abertura do evento, que acontece até sábado (17), sempre a partir das 20h. O festival tem apoio das secretarias estaduais de Cultura e Turismo e da prefeitura de Bonito.

A banda Horse Society foi a primeira a subir ao palco, revelando a tendência mais “rock and roll” desse primeiro dia do evento. O grupo “esquentou” a noite com composições próprias e releituras cheias de personalidade, com forte influência do mestre canadense NeilYoung, com elementos de folk, blues e country.

Banda Horse Society foi a primeira a subir no palco do 4ªFestival de Jazz e Blues de Bonito. (Foto: Gilson Rocha)Banda Horse Society foi a primeira a subir no palco do 4ªFestival de Jazz e Blues de Bonito. (Foto: Gilson Rocha)

O grupo campo-grandense é formado pelo guitarrista, cantor e compositor João Ricardo Tognini, o filho dele, João Pedro, também na guitarra, Anderson Rocha na guitarra e produção, Marcos Yallouz no baixo e Ernani Jr. na bateria.

Na sequência, foi a vez do Quarteto Lisérgico surpreender com uma inusitada combinação entre rock nacional e internacional, soul, jazz, música instrumental, regional e - até dá para arriscar - um jazz fusion. O repertório passou por Cazuza, Led Zeppelin, Geraldo Espíndola e Jimi Hendrix.

“Nosso trabalho não tem rótulo; é resultado das influências de cada um dos integrantes, com suas experiências e bagagem musical”, explica vocalista e tecladista Alex Cavalheri.

Quaterto Lisérgico apresentou uma fusão musical com rock, jazz, regionais e muito instrumental. Sem rótulos. (Foto: Gilson Rocha)Quaterto Lisérgico apresentou uma fusão musical com rock, jazz, regionais e muito instrumental. "Sem rótulos". (Foto: Gilson Rocha)

A banda também é formada pelo Anderson Rocha na guitarra, Luciano de Sá no baixo e Adriel Santos na bateria. 

O encerramento da noite ficou por conta do trio Dente de Ouro, que tem como vocalista e tecladista Rudy WT, além dos músicos que formavam a "cozinha" da Bando do Velho Jack, o baterista Bosco e o baixista Marcos Yallouz. A apresentação teve como convidado especial o guitarrista Rodrigo Tozzette, que também integrava a lendária banda.

Público animado -Turistas e moradores de Bonito foram uma atração a parte do festival. "Estudo música, toco trompete, e fiz questão de participar de todas as edições do festival.Só deveria ser mais divulgado porque eventos como esse são fundamentais para a cidade, especialmente nessa época de baixa temporada”, acredita Roberto Silva, 23, que atua no trade turístico de Bonito.

Os amigos Roberto e Gabriela em frente ao palco do festivald e jazz e blues em Bonito. (Foto: Gilson Rocha)Os amigos Roberto e Gabriela em frente ao palco do festivald e jazz e blues em Bonito. (Foto: Gilson Rocha)

"Está muito bom. Deveria fazer um evento desse também em Jardim", sugere Gabriela da Silva, acadêmica de geografia, que foi para Bonito especialmente para o evento.

Próximas atrações -  A sexta-feira (16) será mais “blues and jazz”, tendo como destaque um dos mais consagrados “piano blues” do país: Adriano Grineberg.

Também haverá show das bandas Gessy & The Rhivo Trio, que traz uma “pegada” vintage com estilos country, soul, surf music e até jovem guarda; e também da MPBlues, fazendo jus ao nome com “clássicos mais clássicos” da música brasileira.

No sábado o festival encerra com apresentação de Samantha Caracante Jazz Quartet, Mestre Blues de Cuiabá (MT) e o sul-mato-grossense Zé Pretim, além de outra uma participação "pra lá de especial" do Adriano Grineberg.

Confira na galeria abaixo alguns momentos da primeira noite do festival, que foi muito bem "ornada" por uma bela lua minguante. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions