A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/03/2010 16:44

MPE diz que vistoriou postos porque Saúde "não fez nada"

Redação

Por meio da assessoria de imprensa do MPE (Ministério Público Estadual), a promotora de Justiça da Cidadania Sara Francisco Silva afirmou que a vistoria realizada na madrugada foi feita porque, segundo ela, a prefeitura não cumpriu o Plano de Ações estabelecido após uma reunião no dia 11 de fevereiro de 2009 com a coordenadora geral de assistência à saúde da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Ana Paula Gonçalves Resende.

No plano de ação constam medidas como "orientação da população através dos conselhos gestores locais quanto à 'cultura da fila da madrugada'", "ativação dos conselhos gestores locais", "busca ativa dos pacientes agendados que não compareceram aos Programas de Saúde, com as devidas orientações"; "implementação na Rede de Atenção Básica dos Protocolos de acesso às especialidades" e capacitações de servidores.

"Quando o Ministério Público age, espera que as pessoas cumpram com suas obrigações para que a população não sofra com o descaso", disse Sara, de acordo com a assessoria de imprensa.

A promotora ainda respondeu a declaração do prefeito Nelson Trad Filho que ficou indignado com a vistoria feita na madrugada, feita sem sequer comunicar algum representante da prefeitura para tomar conhecimento, dar encaminhamento ou responder dúvidas. "Indignação ele deveria ter ao ver a população que depende da Saúde pública ser dispensada sem atendimento médico", afirmou a representante do MPE.

Segundo a assessoria de imprensa, a promotora Sara Francisco Silva tentou entrar em contato por telefone com o secretário municipal de Saúde, Luiz Henrique Mandetta, no final da vistoria, já no período da manhã.

Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions