A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

15/10/2009 17:30

MS é destaque em estudo sobre apreensão de armas no País

Redação

Estudo realizado pela ONG (Organização Não-Governamental) Viva Rio, destaca Mato Grosso do Sul no Ranking dos Estados no Controle de Armas.

A pesquisa, inédita no País e que teve início em outubro de 2008, levou em conta um universo de 238 mil armas apreendidas no País durante os últimos 10 anos.

O relatório preliminar, divulgado nesta quinta-feira, aponta que Mato Grosso do Sul adotou sistemas mais apropriados de recolhimento, armazenamento e guarda, com informações mais detalhadas sobre os armamentos.

Por conta dessa melhora nos sistemas, o Estado melhorou a posição no Ranking e ocupa lugar de destaque ao lado de Minas Gerais e Paraná. Os números não foram divulgados pela ONG.

Já o Distrito Federal é que tem apresentado a melhor qualidade de informações relativas ao recolhimento e à apreensão de armas, conforme o estudo da ONG.

Por ter sido a unidade federativa que mais colaborou com informações sobre a padronização dos dados do armamento e relativas a cada caso de arma apreendida, o Distrito Federal foi considerado ponto de referência (100%).

Em segundo lugar ficou o Rio de Janeiro (95,5%), seguido por São Paulo (93,4%), Pernambuco (91,6%), pelo Tocantins (88%) e Espírito Santo (83,3%).

Liderar o ranking, segundo o diretor da Viva Rio Antônio Rangel, não significa necessariamente que a situação da capital federal seja satisfatória.

"Isso é apenas uma comparação com outros estados. Para termos uma visão mais realista, seria necessária uma comparação com outros países. Se isso fosse feito, chegaríamos a uma conclusão não tão positiva", disse Rangel, em entrevista à Agência Brasil.

A ideia da pesquisa é analisar a forma como as armas de fogo apreendidas pelas forças de segurança pública estão sendo conduzidas pelos estados, de modo a avaliar o desempenho de cada unidade da Federação no controle das armas apreendidas, sob sua tutela.

O número de armas apreendidas durante as campanhas de desarmamento também pesou na confecção do ranking.

Além disso, a pesquisa traça um raio-x que revela os tipos de armas apreendidas, os locais e circunstâncias das apreensões, as informações recolhidas sobre elas, a quantidade e especificação do armamento recolhido durante as campanhas de desarmamento voluntário e o número de armas recadastradas na atual campanha.

O trabalho seguirá até fevereiro de 2010, quando será apresentado o resultado final do levantamento. O estudo também visa rastrear o caminho percorrido pelas armas ilegais e identificar os principais canais utilizados por traficantes e contrabandistas.

Já foi possível identificar, por exemplo, que grande parte das armas apreendidas com criminosos tiveram origem legal, tendo sido compradas em lojas especializadas ou desviadas do arsenal de forças policiais.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions