A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

24/08/2013 18:04

Nenhuma chapa consegue 50% dos votos, e eleição de sindicato vai para 2º turno

Vinícius Squinelo
Apenas 25% dos associados foram votar hoje (foto: Marcos Ermínio)Apenas 25% dos associados foram votar hoje (foto: Marcos Ermínio)

A eleição para o Sindicato dos Mototaxistas vai ser decidida no segundo turno. No primeiro embate nas urnas, na tarde de hoje (24), nenhuma das quatro chapas conseguiu apoio de 50% da classe, o que impediu a vitória.

A eleição foi marcada pelo forte contingente de segurança. Foram 20 profissionais contratados para que tudo ocorresse na tranquilidade, segundo Dovair Boaventura, mais conhecido como Caburé, que preside o sindicato há oito anos, e tenta nova reeleição.

A chapa 1, encabeçada por Caburé, foi a que teve maior apoio, com 176 votos, seguido pela chapa 2, de Carlos Timóteo, que teve 65 votos. A chapa 4, de Rony de Oliveira, ficou com 23 votos e a chapa encabeçada por Luis Alberto, o Gaúcho, teve 19 eleitores.

Segundo as regras da eleição do sindicato, o segundo turno deve ser disputado novamente pelas quatro chapas, o que causou um impasse entre os candidatos.

Com receio de que ninguém consiga novamente apoio majoritário no segundo turno, marcado para o dia 8 de setembro, a oposição se articula para apoiar apenas Timóteo.

“Estamos negociando para as três chapas de oposição, a nossa, do Rony e do Timóteo se unam apenas para apoiar o Timóteo”, revelou Gaúcho, um dos candidatos.

São 1.100 associados no sindicato, mas a presença na eleição não é obrigatória. Apenas 277 mototaxistas foram votar, 25% dos que poderiam comparecer.

Promessas - Candidato da chapa 2, Carlos Timóteo, de 40 anos, afirma que pretende rever a cobrança no sindicato, que considera indevida. Outra bandeira é trazer dignidade para a categoria. A proposta de Luís Alberto, de 36 anos, que líder a chapa 3, é pedir ao poder público que amplie a expedição de alvarás.

Já o candidato da chapa 4, Rony de Oliveira, de 33 anos, promete trabalhar para transformar o sindicato. Uma das ações seria a revisão as taxa de filiação, que é de R$ 20 para permissionário (titular do ponto) e R$ 10 para o auxiliar.

Em Campo Grande, são 447 profissionais, distribuídos em 70 pontos.



quero aki parabenizar os quatros candidatos pela coragem de colocar seus nomes para a categoria decidir é assim que se faz um sindicato forte.
 
antonio conceiçao da silva em 24/08/2013 18:35:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions