A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/08/2012 11:11

Para desafogar leitos, medida muda atendimento de pacientes de trauma

Fabiano Arruda

Por conta do alto volume de pacientes com traumato-ortopedia, maioria formada por vítimas de acidentes de trânsito, resolução da Secretaria Estadual de Saúde, publicada na edição desta segunda-feira do Diário Oficial do Estado, muda os procedimentos de atendimento.

A medida traz protocolo de ações para pacientes classificados como TOE (Trauma Ortopédico Eletivo) com necessidade de serem submetidos à cirurgia. Em linhas gerais, as regras tentam desafogar a rede de atendimento do SUS em Mato Grosso do Sul.

A resolução determina que as vítimas podem ser avaliadas para posteriormente serem agendados os procedimentos sem que fiquem internados por muito tempo. Este é um dos principais problemas apontados como responsáveis pela superlotação da rede e ocupação de leitos até de outros setores, já que os pacientes com casos de fratura, por exemplo, ficam por muitos dias ocupando leitos somente à espera de cirurgias.

Pela resolução fica a possibilidade de o paciente receber alta já após o atendimento inicial, diagnóstico e imobilização ortopédica, “desde que hemodinamicamente estável”, para posterior programação da cirurgia definitiva, caso não ultrapasse o prazo de 15 dias a contar da data da fratura.

Essa sequência de ações é vista como uma ferramenta de gestão clínica fundamental para organizar o processo de referência e contrareferência em busca da resolutividade dos casos aos pacientes do SUS.

Medida prevê novas regras para atendimento a vítimas de traumas, entre as quais as vítimas de acidente são maioria. (Foto: Pedro Peralta)Medida prevê novas regras para atendimento a vítimas de traumas, entre as quais as vítimas de acidente são maioria. (Foto: Pedro Peralta)

A resolução ainda indica que as portas de entradas, preferenciais, das vítimas de trauma ortopédicos, são as unidades fixas de atendimento pré-hospitalar 24 horas que, após avaliação, encaminharão os caso para o Cenort (Centro Municipal Ortopédico).

A Santa Casa, por sua vez, ficará responsável pela triagem dos pacientes com quadro de Trauma Ortopédico Eletivo com necessidade de cirurgia.

Já as situações com diagnóstico de fratura exposta podem ser encaminhadas para o Hospital Universitário com a ressalva de ser no período noturno e de acordo com a capacidade do serviço.

E os casos diagnosticados como politraumatizados graves serão enviados à Santa Casa por meio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

A resolução ainda enumera o passo a passo para avaliação dos casos em quatro etapas: identificação, avaliação pré-operatória e agendamento, Central Municipal de Regulação e internação.



Penso que, já que os acidentes de trânsito são s maiores causadores desse caos hospitalar, coloquem policiamento nas ruas. Mas não é mais fácil, como sempre, sacrificar o cidadão que já é massacrado nesse trânsito caótico.
 
José Santos em 07/08/2012 07:36:48
Poderiam fazer outra coisa também. Quem causou acidente e com dolo (por exemplo motorista embriagado), caso haja falta de leito no SUS, será transferido para hospital particular. Por que é que a população deveria arcar com tratamento gratuito para quem não sabe respeitar limite? Bebeu, furou sinal, e acabou no hospital? Vai pagar seu tratamento do proprio bolso! É vitima? Tratamento de graça...
 
Marcos da Silva em 06/08/2012 11:43:14
Concordo com o Marcos. Qdo se fala em pôr a mão no bolso.. A coisa muda de figura... É isso aí.. O culpado deve arcar com as despesas!!!
 
Laura Cristina em 06/08/2012 05:02:24
Como é que querem desafogar?
Dia 01/06 sofri um acidente de carro, cheguei lá com a perna quebrada em 3 lugares, coisa que resolviam com gesso, mas não, depois de horas esperando, um projeto de ortopedista dá uma olhadinha rápida e manda subir pra cirurgia, eu que já sou escaldado de cirurgia, ví que não precisava, sai de lá e fui para o Penfigo na barão do rio branco, concluindo, já tô ok.
 
Julio Martini em 06/08/2012 04:45:55
Pior caro Marcos que os acidentes na nossa cidade raramente envolve Fusquinha,Corcel,Belina,somente se ver Civic,S10 ,Ranger ,carro do ANO, são população que tem bem estar e pode pagar , são ele que estão superlotado nos hospitais ,depois são transferidos para o particular .
 
Fernandes Reis em 06/08/2012 02:45:54
Coitado dos pacientes que espera por esta resolução,que mesmo com fratura exposta esperam no corredor por um atendimento mesmo não sendo culpado do acidente que muita vez plantonista estao descansados e a população sendo atendida por Residentes, gerando filas de espera no pronto atendimento,até quando vão tirar a responsabilidade dos senhores Médicos ,só dificultado para população.O dia chegará.
 
Fernandes Reis em 06/08/2012 02:35:44
Marcos, concordo plenamente com você, só vai diminuir acidentes, qdo tramento médico for cobrado da pessoa que causou o acidente.
 
Katiuscia Ribeiro em 06/08/2012 01:20:08
Eu vou falar o que, o marcos da silva ja falou tudo
e tabem cidade almenta, os acidente tambem almenta,
e os nosso politico eleito somem.
 
JOSEMAR ALVES VIEIRA em 06/08/2012 01:03:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions