A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

05/08/2010 18:13

Poder de polícia não muda ação de Exército na fronteira

Redação

O Exército Brasileiro tem 4 mil homens na linha de fronteira do Estado, porém, o CMO (Comando Militar do Oeste) não acha que o projeto de lei aprovado ontem pelo Senado, que prevê que as Forças Armadas tenham papel mais ativo na defesa da soberania e no patrulhamento das fronteiras, trará mudanças em suas ações.

Em nota divulgada, o CMO disse que "o novo texto da lei não trará maiores alterações na sistemática já existente mas ampliará a atuação da marinha e da Força Aérea".

A fronteira tem 1.500 quilômetros, indo de Mundo Novo a Corumbá. Atualmente, as forças da Polícia Estadual que atuam na região são o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) e a Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira). As duas corporações são formadas por policiais militares (DOF) e civis (Defron).

As duas corporações trabalham em conjunto, sendo o DOF realizando o trabalho ostensivo e o Defron o de investigações.

Neste primeiro semestre, foram apreendidos: 3,1 toneladas de maconha; 57 kg de cocaína e 57 kg de pasta base. Somente no mês de julho, o DOF contabilizou 4,1 toneladas de maconha.

De acordo com o comandante do DOF, coronel Joel Martins, julho é o mês da "colheita" de maconha no Paraguai, o que aumentou a apreensão. Ele disse que a presença do Exército em operações de fronteira acontece, esporadicamente, e as corporações atuam em conjunto. O reforço seria bem-vindo, já que o Estado serve de corredor de passagem da droga.

"O Estado tem sido corredor. Só de fronteira seca são 640 km. Todo o efetivo é bem vindo no combate ao narcotráfico", comenta.

Em outro ponto considerado crítico da fronteira, Ponta Porã, a delegacia regional possui 116 homens, que trabalham com investigações e serviços de inteligência.

O delegado titular do Defron, Antonio Carlos Videira, concorda que todo os esforços tem de ser feitos no combate a crimes da fronteira. "Todo tipo de policiamento que vier a colaborar é bem vindo, por conta do grande número de crimes. Eles (Exército) atuando em conjunto, com certeza irão aumentar a segurança e inibir o tráfico", ressalta.

O DOF também serviu de referência para o desenvolvimento do Pefron (Projeto de Policiamento Especializado de Fronteiras), plano que será implementado em todos os Estados que fazem fronteira com países da América do Sul.

O Exército possui 21 destacamentos de Fronteira, e quatro quartéis na região de fronteira (18ª Brigada de Infantaria de Fronteira em Corumbá; Regimento de Cavalaria Mecanizado, Bela Vista; 11º Regimento de Cavalaria Mecanizado, Ponta Porã e a 2ª Companhia de Fronteira, Porto Murtinho).

O CMO também realiza desde 2003 a Operação Jauru, que em 2005 envolveu cerca de quatro mil homens, entre militares das três Forças Armadas e integrantes de órgãos federais e estaduais.

Na fronteira também há homens da Polícia Federal (cerca de 250) e da Polícia Rodoviária Federal (270 em vários postos).

A nota de Exército finaliza dizendo que: "Desde 1999, o Exército Brasileiro já exerce poder de polícia na faixa de fronteira".

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions