A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

23/08/2013 09:35

Polícia confirma prisões, mas não revela motivo da morte de delegado

Edivaldo Bitencourt
Delegado foi executado no dia 25 de junho em bairro nobre (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Delegado foi executado no dia 25 de junho em bairro nobre (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

O diretor-geral da Polícia Civil, Jorge Razanauskas Neto, confirmou, em nota oficial, a prisão de dois suspeitos da execução do delegado aposentado e professor universitário Paulo Magalhães Araújo, 57 anos. Ele foi morto a tiros no dia 25 de junho deste ano em frente da escola da filha, no Jardim dos Estados.

Foram presos, na segunda-feira (19), o guarda municipal José Moreira Freitas e Antônio Benitez. Eles se apresentaram com advogado, ficaram presos porque havia mandados de prisão. No entanto, os dois negam participação na execução do professor.

No entanto, Razanauskas Neto se esquivou de divulgar as motivações do crime e quem seria o mandante ou mandantes do assassinato. “Brevemente vamos marcar uma entrevista coletiva, onde prestaremos esclarecimentos a sociedade e a imprensa. O importante é que a Polícia Civil está empenhada no caso e que o método de trabalho adotado por nós está tendo resultados positivos, o que prova que estamos no caminho certo”, garantiu.

A Polícia Civil não confirmou, contudo, a participação de um terceiro homem na execução do delegado. Informações divulgados extra oficialmente indicam que um homem chamado Rafael estaria foragido.

Razanauskas afirma que uma vez que o inquérito policial que apura o crime corre sob segredo de justiça, não pode divulgar maiores detalhes das prisões, nomes dos acusados e detalhes das investigações.

O advogado do guarda municipal, Renê Siufi, que é um dos maiores criminalistas do Estado, ressaltou que seu cliente não teve nenhuma participação no assassinato de Magalhães.

Polêmica – O delegado e professor universitário tinha uma vida polêmica. Ele tinha um blog em que denuncia corrupção na Polícia e em diversos órgãos públicos. Antes de ser morto, chegou a encaminhar um dossiê contra dois magistrados ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Ele também ingressou com quase 30 ações na Justiça para cobrar a devolução de pagamentos indevidos aos funcionários públicos.



No filme o “O homem que copiava” os personagens principais cometem um crime, o qual consistia em deixar um botijão vazando gás dentro de um refrigerador com a lâmpada quebrada. Assim que o incauto abrisse a porta do refrigerador, acenderia a lâmpada e inflamaria o gás. Os criminosos deixaram também no local do crime uma galinha. A revelação de dois suspeitos de modo anônimo no caso Paulo Magalhães tem função semelhante a da galinha do filme de Furtado. Fale do “suspeito”, de seu advogado, ou seja, da galinha e nada se diz do engenho explosivo, ou seja, as denúncias contra autoridades corruptas feitas pela vítima. As ações do Dr. Paulo Magalhães eram apenas contra autoridades corruptas e estavam todas sob segredo de justiça a fim de que a sociedade não viesse a saber dos crimes cometidos p
 
valdemir ribeiro albuquerque em 27/08/2013 12:06:37
Somente no Brasil,sou advogado e essa causa de repercussão nacional não sairia por menos de R$ 100,000,00,tenho a jurisprudência de falar que o pobre guardinha não tem como pagar o nobre colega.Já é motivo de investigação.
 
Tulio Marcos em 23/08/2013 15:38:19
(O Renê Siufi, o advogado das causas milionárias se apresente com seu cliente, um Guarda Municipal)..........................kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
JOSÉ NASCIMENTO em 23/08/2013 14:49:57
É isso mesmo que eu li?? Um dos suspeitos, que é guarda municipal, compareceu na Polícia Civil acompanhado do Digníssimo Advogado Renê Siufi??? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...Ah gente, vamos parar de ser maldosos, pois nesta hipótese, com certeza, o Digníssimo Adv. vai trabalhar por caridade!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk...que piada boa!!!!
 
Amarildo Carvalho em 23/08/2013 14:35:31
É só rastrear a fonte de pagamento do Dr. Renê, que se chegará ao mandante do crime. Nunca que o modesto salário de um guarda municipal conseguiria arcar com os honorários deste criminalista!!! Tem gente grande atrás disso!!!!
 
Vanessa Sarti em 23/08/2013 13:21:28
Como é que é? Então me diga o segredo: um guarda municipal que ganha pouco mais de mil reais pode contratar alguém do quilate do Renê Siufi? A OAB está acompanhando o caso? Não sei por que estou sentindo cheiro de pizza!!!!
 
Vicente desconfia de tudo em 23/08/2013 09:51:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions