A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/08/2013 10:35

Polícia recaptura golpista que simulou compra de fazenda de ex-deputado

Graziela Rezende
Estelionatário já possui 36 anos de condenação. Foto: Cleber GellioEstelionatário já possui 36 anos de condenação. Foto: Cleber Gellio

O estelionatário Celso Maldonado de Freitas, 30 anos, que simulou a compra da fazenda de um ex-deputado estadual, no valor de R$ 4,025 milhões, foi preso novamente pela Polícia. Ele havia sido solto 24h depois de informar nome falso e conseguir a liberação por parte do juiz. Porém, agora permanecerá preso para pagar ao menos 36 anos de condenação e os quatro mandados de prisão em aberto.

Segundo a delegada Christiane Grossi, responsável pelas investigações, a Polícia Militar fazia rondas no bairro Piratininga, quando localizou o autor na tarde de ontem (19). Ele disse que estava no local para resolver “broncas”, porém a investigação constatou que ele planejava uma nova fuga.

Anterior ao golpe do ex-deputado, no qual estava prestes a entregar a sua propriedade rural e uma caminhonete avaliada em R$ 120 mil, o golpista cometeu um assassinato e era integrante de uma violenta quadrilha de roubo a caminhonetes em Corumbá, a 419 quilômetros da Capital.

Somente do homicídio, a polícia constatou que ele possuía 19 anos de condenação. Já no dia 10 de agosto deste ano, ele tentava enganar a vítima, com o depósito de um cheque de R$ 132 mil.

“Como ele sabia que o valor deveria cair somente na segunda, com o falso depósito efetuado na quinta à noite, começou a cobrar as chaves do carro no outro dia e o crime só não foi concretizado porque a polícia chegou ao momento exato”, comenta o delegado Wellington de Oliveira.

Em casos como esse, o delegado explica que a pessoa interessada em vender o bem precisa de cautela. “Neste caso o estelionatário abriu a conta em Junho e a vítima deveria prestar atenção neste detalhe. Como em pouco tempo Celso teria tanto valor na conta bancária, principalmente para fazer transferências?”, afirma Oliveira.

Mesmo que constatado o crime de estelionato e falsidade ideológica, a delegada explica que não se trata de um flagrante e, portanto Celso permanece preso pelas condenações. “O mesmo juiz que determinou a soltura será comunicado que ele foi identificado e com isso determinar a prisão dele pelos últimos crimes, aumentando ainda mais a sua pena”, conclui a delegada.



Mais um excelente trabalho realizado pela equipe do Delegado Wellington. Lembro me dele desde a época que trabalhava nas moreninhas, sempre resolvendo os casos com rapidez.
 
Silvana Deias em 20/08/2013 15:59:48
Mas esse juiz não obteve informações para deixa-lo preso???
Se ele enganou até o Juiz que estuda pra desvendar crimes, imagine o cidadão comum??? abram o olho autoridades!!!
 
JARY GUASINA em 20/08/2013 15:10:47
Toma espertão, agora vai comer de graça e ter uma ótima estada no hotel do governo.
 
vinicius rodrigues em 20/08/2013 14:33:13
Que dessa vez ela fique preso por mais tempo. Infelizmente sabemos que logo ele será solto novamente, por causa das leis feitas pelos nossos governantes.
 
Paulo Santos em 20/08/2013 13:18:33
Que juíz é esse que libera um criminoso sem examinar documentos do mesmo para constatar a veracidade dos mesmos? Esse juíz deveria ser punido legalmente por má execução da função(cabe até exoneração, pois libertou um criminoso perigoso), cabe tambem as vítimas do golpe processar o tal juíz pelo erro cometido afim de lesar os mesmos e a imagem do setor jurídico nacional!
 
Alexandre de Souza em 20/08/2013 12:09:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions