A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

30/08/2012 13:10

Portaria do Ministério da Saúde quer estimular leitos de retaguarda em MS

Fabiano Arruda
Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, concede entrevista nesta quinta em Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, concede entrevista nesta quinta em Campo Grande. (Foto: Minamar Junior)

A portaria do Ministério da Saúde, publicada nesta quinta-feira, visa estimular a criação e manutenção aos leitos de retaguarda das unidades de urgência e emergência na rede pública em Mato Grosso do Sul.

A explicação foi dada pelo ministro Alexandre Padilha durante assinatura de convênio com os 78 municípios do Estado na manhã de hoje em Campo Grande.

A ideia é reservar leitos, para que pacientes em recuperação de procedimentos cirúrgicos, não sejam ocupados por outras demandas e, com isso, desafogar o alto fluxo nos prontos socorros.

“O Ministério da Saúde dobra o valor da tabela SUS desde que o leito fique de retaguarda, reservado. São recursos que vêm vinculados com a melhoria do atendimento à população, metas claras e serviços humanizados”, comentou.

Além disso, a portaria destinará verba para custeio e manutenção de prontos socorros, organizar o atendimento já existente, investimentos para UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) e incentivos à rede de atenção básica.

“O Ministério da Saúde passa mais recursos para atendimento da saúde à família para dar maior qualidade no atendimento e redução do tempo de espera. Então, os recursos estão vinculados aos resultados”, explica.

Portaria - Os recursos da portaria publicada pelo Ministério nesta quinta totalizam R$ 82,7 milhões e fazem parte da etapa I do Plano de Ação da Rede de Atenção às Urgências em Mato Grosso do Sul.

Serão contemplados 18 municípios: Alcinópolis, Aquidauana, Bela Vista, Bonito, Camapuã, Campo Grande, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Jardim, Miranda, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Porto Murtinho, Ribas do Rio Pardo, Sidrolândia e Terenos. O maior valor é para Campo Grande, com R$ 69 milhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions