ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  15    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Procon não encontra cadeirinhas nas lojas da Capital

Por Redação | 07/06/2010 17:05

A pesquisa que o Procon divulgaria nesta segunda-feira sobre o preço das cadeirinhas para transporte de crianças em veículos foi comprometida pela falta do produto no mercado.

O levantamento não pode ser realizado nas lojas de Campo Grande. Segundo o órgão de fiscalização dos direitos do consumidor, a procura foi grande e acabou com os estoques.

"Muitos lojistas não tinham o produto e estavam aguardando novas encomendas. O Procon visitou seis estabelecimentos e não conseguiu encontrar a cadeirinha", diz o superintendente, Lamartine Ribeiro.

Por conta dos pedidos serem recentes, os vendedores não informaram o preço das cadeirinhas.

Lamartine orienta para que os consumidores que decidirem comprar a cadeirinha pela internet que fiquem atentos ao prazo de entrega. "Se o período estipulado não for cumprido, cabe ação do Procon", explicou o supertintendente.

Os pais correm contra o tempo para evitar multas, a partir do dia 15 de junho. Bebês com até um ano de idade devem ser transportadas no bebê-conforto, em posição invertida (corpo virado para retrovisor traseiro), segundo a resolução 277, de 28 de maio de 2008. Já as crianças entre um e quatro anos deverão usar a cadeirinha.

Dos quatro aos sete anos, a criança é obrigada a utilizar acento de elevação no banco de trás. E, por último, as crianças de sete até os dez anos devem, obrigatoriamente, ser transportadas no banco traseiro, presas ao cinto de segurança de três pontas.

A obrigação começa a valer a partir de quarta-feira (9), mas a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) decidiu só iniciar a fiscalização no dia 15.

No caso do descumprimento das normas, o condutor será autuado em flagrante por infração gravíssima, que resultará na perda de sete pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e multa de R$ 191,00.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário