ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 17º

Retrospectiva 2011

Presídio federal faz de Campo Grande hospedaria para bandidos ‘ilustres’

Por Nadyenka Castro | 30/12/2011 09:00

Unidade penal foi inaugurada há cinco anos e desde então recebe traficantes conhecidos internacionalmente

Líder do tráfico na Rocinha, Nem agora é um dos hóspedes da Penitenciária Federal de Campo Grande. (Foto: Gabriela Moreira/ Agência O Dia)
Líder do tráfico na Rocinha, Nem agora é um dos hóspedes da Penitenciária Federal de Campo Grande. (Foto: Gabriela Moreira/ Agência O Dia)

Inaugurada em dezembro de 2006 e atualmente com 121 presos, a Penitenciária Federal de Campo Grande fez a capital sul-mato-grossense ser conhecida como ‘hospedaria’ para traficantes. É que, depois de receber e já ter despachado Luís Fernando da Silva, o Fernandinho Beira-Mar, e o colombiano Juan Carlos Ramírez Abadia, o presídio federal recebeu neste ano outras lideranças do tráfico de drogas e também policiais envolvidos em assassinatos.

Os primeiros ‘famosos’ a chegar na penitenciária neste ano foram quatro cariocas acusados de integrarem uma milícia que teria cometido 50 homicídios desde 2007.

São eles: o vereador Jonas Gonçalves da Silva, o Jonas é Nós, o soldado da Polícia Militar Ângelo Sávio Lima de Castro, o Castro, o vereador Sebastião Ferreira da Silva, o Chiquinho Grandão, e Éder Fábio Gonçalves da Silva, Fabinho é Nós, filho de Jonas.

Desde agosto integra a lista de detentos da unidade penal o traficante carioca Elias Pereira da Silva, conhecido como Elias Maluco. Ele veio para Campo Grande transferido do presídio federal de Rondônia, onde estava desde 25 de novembro do ano passado.

Tenente-coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira é acusado de ser o mandante do assassinato da juíza Patrícia Acioli. (Foto: Tudo Global.com.br)
Tenente-coronel Cláudio Luiz Silva de Oliveira é acusado de ser o mandante do assassinato da juíza Patrícia Acioli. (Foto: Tudo Global.com.br)
Elias Maluco, traficante condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, chegou à Capital em agosto. (Foto: Roberta Trindade)
Elias Maluco, traficante condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, chegou à Capital em agosto. (Foto: Roberta Trindade)

Elias Maluco é tido como um dos maiores traficantes de drogas e armas do Rio de Janeiro e já foi condenado pela morte do jornalista Tim Lopes.

Três meses depois chegaram à Capital os traficantes Antônio Bonfim Lopes, o Nem, Anderson Rosa Mendonça (Coelho), Valquir Garcia dos Santos (Carré), e Flávio Melo dos Santos.

Todos são envolvidos no tráfico na favela da Rocinha, sob a liderança de Nem, um dos bandidos mais procurados pela Polícia e preso no dia 10 de novembro. Nove dias depois ele foi transferido para a Penitenciária Federal de Campo Grande.

Outros presos ‘ilustres’ são: O tenente-coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro Cláudio Luiz Silva de Oliveira, acusado de ser o mandante do assassinato da juíza Patrícia Acioli, e o tenente Daniel Santos Benitez Lopes, acusado de participação no crime. Eles respondem por homicídio triplamente qualificado.

O presídio - A unidade penal conta com 208 celas, todas individuais. Há camêras de segurança, os detentos têm os cabelos raspados e usam uniformes.