A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

28/12/2007 10:37

Servidor de MS só poderá mudar de banco em 2011

Redação

Os servidores públicos do governo de Mato Grosso do Sul só terão a opção de receber os salários no banco de seu interesse em 2011, embora esteja em vigor desde março deste ano as novas regras para a conta-salário, que dão ao empregado o direito de escolher a instituição para depósito do pagamento. A Secretaria de Administração tem recebido, e negado, pedidos de servidores interessados em transferir o recebimento dos proventos para outras instituições, sob a justificativa de que o contrato de exclusividade com o Banco do Brasil não permite, até a data citada, a transferência do depósito para outra instituição financeira.

Só nesta semana, foi publicada no Diário Oficial a resposta negativa a pelo menos vinte pedidos de mudança de banco por servidores. O Campo Grande News apurou quem em outubro, diante das solicitações, a Secretaria de Administração editou um ofício circular informando aos órgão estaduais a impossibilidade de mudança.

A exceção, conforme o documento editado, fica para os pensionistas e para servidores da ativa que conseguirem decisões judiciais determinando a mudança. Existem casos desse tipo, em número não informado.

O Estado tem hoje 55 mil servidores, entre ativos, inativos e pensionistas. A reportagem apurou que destes há 241 da ativa e 48 pensionistas que recebem pela Caixa Econômica Federal.

A Caixa é, conforme as informações levantadas, o banco que mais tem pedidos de transferência, normalmente relacionados ao fato de o servidor ter financiamento habitacional no banco.

Prazo é legal - Quando criou as novas regras para as contas-salário, o Banco Central estabeleceu prazos para que as mudanças fossem adotadas, dependendo da data de assinatura do contrato entre os empregadores e as instituições financeiras.

Para os servidores públicos, o prazo pode ir até 2012, conforme o BC explicou à época. As regras editadas pelo BC para conta-salário determinam que elas devem ser ab ertas no banco de interesse do empregado e não devem cobrar tarifas.

Um dos motivos do prazo para colocação em vigor das leis é proteger os acordos feitos entre governos e bancos, medidante leilões das folhas de pagamento. Em Mato Grosso do Sul, não chegou a haver leilão, embora o governador André Puccinelli (PMDB) tenha feito essa ameaça no início do ano. Na época, o Banco do Brasil topou conceder R$ 130 milhões em crédito, em nome do servidor para ser pago pelo Estado, para garantir a quitação da folha de pagamento de dezembro, que estava atrasada.

MEC vai propor nova estrutura para cursos de pedagogia
O Ministério da Educação (MEC) vai encaminhar ao Conselho Nacional de Educação (CNE), na próxima semana, uma proposta de modificação dos cursos de pe...
Motoristas envolvidos em contrabando terão habilitação cassada
O motorista que for condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias terá sua carteira de habilitação ca...
STF decide que Ministério Público pode cobrar multas de ações penais
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (13) que o Ministério Público tem competência para ajuizar ações de cobrança de multas definidas em con...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions