A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/06/2013 15:14

Servidores do Judiciário fazem paralisação no dia 3 para discutir greve

Aline dos Santos e Leonardo Rocha
Paralisação de advertência foi anunciada neste sábado. (Foto: Marcos Ermínio)Paralisação de advertência foi anunciada neste sábado. (Foto: Marcos Ermínio)

Servidores de 54 comarcas da Justiça estadual vão cruzar os braços na próxima quarta-feira, dia 3 de julho. Na paralisação de 24 horas, anunciada após reunião neste sábado, será discutido se categoria realiza greve por tempo indeterminado.

De acordo com o vice-presidente do Sindijus (Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário), Dionízio Gomes Avalhaes, são 3.300 servidores. Ele explica que, ao menos, 30% do quadro será mantido trabalhando para não descumprir regra de paralisação. Na pauta de reivindicações, dois pontos ganham projeção: pagamento do adicional por tempo de serviço e o reajuste do auxílio-alimentação.

Conforme o vice-presidente do sindicato, os servidores brigam desde 1999 pelo adicional. “Já ganhamos no Supremo Tribunal Federal e o presidente do Tribunal de Justiça percorreu as comarcas prometendo pagar, que a questão seria resolvida até 30 de junho”, afirma.

O adicional deve ser pago a 1.400 servidores, em valores que vão de R$ 8 mil a R$ 40 mil. “Do valor, 45% está na fila do precatório e o presidente prometeu pagar os outros 55%”, diz. A categoria reclama que os magistrados têm tratamento privilegiado. “Para eles, concede o benefício hoje e amanhã paga”, salienta.

Segundo Dionízio Avalhaes, o vale-alimentação retroativo dos juízes foi pago e a PAE (Parcela Autônoma de Equivalência), que totaliza R$ 150 milhões, já foi paga quase a metade. A PAE é uma compensação devido à diferença entre o auxílio-moradia pago a parlamentares do Congresso Nacional.

Quanto ao auxílio-alimentação, os servidores querem que o valor chegue ao menos a R$ 680. Atualmente, eles recebem R$ 412. A edição de segunda-feira do Diário da Justiça traz dois reajuste no benefício. A partir de julho, o valor será de R$ 475,17. A partir de primeiro de agosto, será R$ 522,69.

Para os magistrados, o benefício varia de R$ 900 a R$ 1.200. O Sindijus vai solicitar que haja uma redução do auxílio-alimentação dos juízes e desembargadores para R$ 700. A categoria também cobra 10% de aumento no salário em julho e agosto.

Ontem, em forma de protesto, os servidores espalharam sacos de lixo pelo TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). O presidente do tribunal, desembargador Joenildo de Souza Chaves, justificou que não tem condições de conceder o aumento neste momento.

 

Com possibilidade de perder adicional, servidores ameaçam parar judiciário
Reunião na tarde desta sexta-feira (28) no Tribunal de Justiça pode desencadear manifestações contra o TJ em Mato Grosso do Sul. Segundo o Sindjus (S...
MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions