A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

23/11/2011 23:59

Sindicato da PF confirma operação padrão na fronteira de MS

Paulo Fernandes

Operação será feita em Ponta Porã, Corumbá e Dourados.

Em protesto contra a suposta precariedade das condições de trabalho, agentes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal que atuam nas regiões de fronteiras do País promovem nesta quinta-feira uma "operação-padrão". Em Mato Grosso do Sul, a operação será feita em Ponta Porã, Corumbá e Dourados.

Ponta Porã e Corumbá ficam, respectivamente, nas fronteiras com Paraguai e Bolívia, portas de entrada de maconha, cocaína e armas.

Segundo o presidente do Sinpef-MS (Sindicado dos Policiais Federais em Mato Grosso do Sul), Jorge Caldas, em Ponta Porã a fiscalização de operação padrão será realizada no Posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal)- Capeí, podendo ser feita também de forma alternativa, na estrada que liga o Posto Fiscal ICMS-Aquidauana a Maracaju.

Na fronteira com a Bolívia, deverá ser realizada a operação padrão no Posto Esdras com fiscalização no controle de imigração da entrada e saída de pessoas no Brasil e também nos veículos que adentram ao país.

O sindicalista afirma que a operação tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade “pelo total abandono na fiscalização de nossas fronteiras”.

Segundo ele, o efetivo da Polícia Federal é defasado e insuficiente para exercer as atribuições constitucionais no combate efetivo ao tráfico de drogas, do contrabando e descaminho e de outros ilícitos.

Em um manifesto, a Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) afirma que a corporação também sofre com a falta de equipamentos básicos como coletes balísticos e armamentos adequados e com a precariedade das instalações de postos avançados e delegacias, o que fragiliza a segurança nas fronteiras.

“Com a fragilização da atuação preventiva e repressiva da Polícia Federal, os mais de 16 mil quilômetros de fronteira do país se transformam em porta de entrada do contrabando de mercadorias e armas e do tráfico de drogas.

São estes os principais fatores da verdadeira epidemia que ameaça a família brasileira e impulsiona a criminalidade nas grandes e pequenas cidades”, diz o documento.

Mais de cem empresas são notificadas por não cumprirem lei de aprendizagem
Mais de cem empresas foram notificadas por não cumprem a Lei de Aprendizagem em Mato Grosso do Sul. Segundo a Superintendência Regional do Trabalho, ...
Universidades terão incentivo de R$ 10 milhões a projetos de combate a obesidade
Chamada pública do Ministério da Saúde incentiva universidades públicas e privadas a desenvolver projetos com ações de prevenção, diagnóstico e trata...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions