A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/06/2009 08:00

Taxistas discutem destituição do presidente da categoria

Redação

Revoltados com um suposto desvio de dinheiro do Sintáxi (Sindicato dos Taxistas de Mato Grosso do Sul), cerca de 50 taxistas discutem, neste momento, uma solução para o problema, incluindo a possibilidade de destituir o titular Waltrudes Pereira Lopes. A reunião acontece no sindicato da categoria, na Rua TV Pepe Simioli, em Campo Grande.

"Tínhamos R$ 170 mil em caixa e não temos mais. Houve desvio de verba", afirmou um taxista. Temendo retaliações, eles pediram para não ter os nomes divulgados, mas permitiram fazer fotos da assembléia.

O Sintáxi tem cerca de 800 filiados em todo Mato Grosso do Sul. Eles cobram maior transparência da contabilidade do sindicato.

A reunião desta quarta-feira não deve por um ponto final na discussão. A maior parte dos taxistas desconhece o estatuto da própria entidade e ainda precisa se informar sobre o que pode ser feito.

Alguns acreditam que o próprio presidente do Sintáxi poderá aparecer na reunião para prestar esclarecimentos.

Waltrudes está vivendo um inferno astral com relação às contabilidades. Além de presidir o Sinditáxi, ele está a frente também da Coopertáxi (Cooperativa dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários e Táxi de Campo Grande), que passa por sérias dificuldades financeiras.

O posto da entidade, na avenida Calógeras, em Campo Grande, chegou a ficar sem combustível por mais de 24 horas.

O MPT (Ministério Público do Trabalho) instaurou há um ano um inquérito civil para investigar a conduta de Waltrudes na Coopertáxi e no Sintáxi. Ele é acusado de promover assédio moral e tomar o rádio dos adversários na cooperativa e na entidade.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions