A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 27 de Maio de 2017


  • Ampla Visão
  • Ampla Visão

    com Manoel Afonso


27/07/2012 09:54

Amplavisão

Manoel Afonso

‘BELEZA’ Os milagres do modelo econômico brasileiro não ‘discriminaram’ o Tribunal Regional do Trabalho de MS. Pudera! Seus juízes e desembargadores representam sua ‘excelência o trabalho’ e precisam ser valorizados.

ANALISANDO a lista dos ganhos deles referentes ao mês de junho, acabei com todas as dúvidas: finalmente o Brasil entrou para o Primeiro Mundo. O Juiz que faturou menos levou R$249.001,00 e o desembargador recebeu R$289.002,00.

AFRONTA? A Justiça do Trabalho não existe para proteger o trabalhador? Portanto é natural que os julgadores atentos, por exemplo, aos reclamos da empregada doméstica, não esqueçam dos seus próprios direitos. Ambos são trabalhadores.

CONQUISTAS Questionar a legalidade dos critérios dos ganhos é discutir o sexo dos anjos. Se o Planalto tem os programas sociais (Bolsas da vida), eles tem suas vantagens adicionais como gratificações/auxílios diversos. Viva o corporativismo!

O BRASIL continua gastando muito com a máquina administrativa. A pratica é o contrário do discurso. Se aqui no modesto MS o custo atingiu esse nível, imagine em outros Estados e nos tribunais em Brasília. Tudo em nome do ‘direito’.

CONCLUSÃO A opinião pública critica e ironiza os critérios dos generosos ganhos. Pouco importa! A memória curta ajudará esses privilegiados trabalhadores, que nem por isso vão cancelar suas próximas e divertidas férias. É o país!

NAS URNAS O eleitor, não pode imitar o obeso que adia o início do regime. Por analogia, o eleitor não pode adiar a adoção de postura correta na escolha do candidato mais preparado após a comparação racional entre os concorrentes.

RISCOS Voto de protesto lembra o voto de impulso. Casos de Janio e Collor – e que ‘deu no que deu’. Despreparados/ demagogos e sem apoio do legislativo, prometeram o paraíso, mas transformaram a vida dos brasileiros num inferno.

PESQUISAS Ainda é cedo para avaliação: a disputa não chegou à TV. Lembro: no pleito de 2008, das 14 capitais pesquisadas em julho, só em 3 delas os candidatos que lideravam na época se mantiveram no topo e venceram ao final.

MEMÓRIA: No embate Moka-Dagoberto, o pedetista liderou durante a campanha, mas fatores diversos (previsíveis) alteraram o quadro e o peemedebista foi o vencedor. E em 2010 Anastásia era o patinho feio e acabou governador de Minas.

A LEITURA sequencial das pesquisas é que dará aos candidatos/equipe indicativos para saber se estão no rumo certo, onde é preciso eventualmente corrigir para atingir determinada faixa de eleitores. Os marqueteiros dizem isso.

ARREMATE As pesquisas não projetam o futuro. Mudanças podem ocorrer pelo desempenho dos candidatos, propaganda, alianças políticas e fatos novos. Aliás, aquela vitória do Brizola no Rio em 1982 mostrou o outro lado das pesquisas.

VEREADOR A visão de alguns está equivocada. Não se pode generalizar. A lâmpada queimada do poste, o horário do ônibus, o atendimento da escola/pronto socorro, coleta do lixo e segurança no vasto universo de suas atribuições.

O PERFIL do candidato a vereador tende a se identificar com o eleitor, pela sua visão e necessidades. Mas na pratica, a escolha do candidato a prefeito vira prioridade, como se a vereança fosse de importância relativa ou até dispensável.

O DITADO de que “A câmara é a cara da população’ tem fundamento e precisa ser levado a sério. É como a obra artística; se o pintor usa cores equivocadas, é incapaz ou negligente, o quadro é criticado. Por extensão ele leva a culpa.

AS PROPOSTAS dos candidatos são basicamente iguais. Não podem ser diferentes. As exceções mais parecem delírios, desconhecimento das atribuições do cargo. Dos excessos de promessas ao ridículo, a distância é um pulinho.

A PERGUNTA: O leitor já assistiu a uma sessão da câmara de sua cidade para avaliar o desempenho de seu vereador ou ter uma visão do legislativo? Ainda há tempo de sobra nestes meses que antecedem as eleições. Combinado?

CORPO A CORPO Frequentadas pelos moradores da região, as feiras livres figuram no rol dos locais preferidos dos candidatos. O ambiente e o horário permitem o contato mais descontraído com os eleitores de níveis diferentes.

‘TEMPORAL’ Chega uma hora em que o Governo precisa cair na real. A economia não vai bem segundo os especialistas. O crédito fácil com juros caros altos endividou grande parte da população. O final de ano promete ser amargo.

SEM RETOQUES Automóveis e moradias novas estão encalhados, pois a maioria dos pretendentes não preenche as condições exigidas. Na outra ponta, a carga tributária inibe a iniciativa privada e as importações vão batendo recordes.

O MENSALÃO Um bom teste para o desgastado Judiciário tentar melhorar sua imagem aos olhos da opinião pública. O noticiário mostra que a influência política é evidente. O pessoal do PT pode ir às ruas e quebrar o pau inclusive.

LULA Não sabia de nada? Zé Dirceu fez tudo de livre e vontade sem consultar o seu chefe? Em nome da governabilidade ‘acertaram’ os parlamentares. Pena que a fraca oposição não teve peito e nem coragem. E ficou como antes!

“Ninguém tem mais ética e moral do que o PT” (Lula- 01/09/2007)

MS, Estado do Pantanal ou Estado do Laranjal?
LISTA SUSPEITA Assisti, li as defesas de vários políticos locais inseridos na famosa lista da delação dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Como a míd...
Dúvida cruel: quem irá nos ‘salvar’ agora?
‘VALE TUDO’ Nesta novela de 1988, o personagem sacana vivido por Reginaldo Farias foge com a mulher e, na cabine do jatinho, dá uma ‘banana’ debochad...
Os estragos da tornozeleira nas eleições de 2018
DEGRADAÇÃO Também aqui as notícias sobre as atividades dos políticos cada vez mais inseridas no contexto policial. As diferenças apenas no ‘modus ope...
PMDB – protagonista ou coadjuvante em 2018?
“SUTIÃ DE ITU” Só ele para abrigar essas tetas. São 304 sindicatos de empregados no MS, 15.007 no Brasil. Se o parâmetro para aferir o progresso do P...



Manoel, vc está misturando legalidade e moralidade. Sobre os salarios no judiciario: mesmo se legal, são imorais. Em Holanda por exemplo um juiz do supremo no fim de carreira ganha E 10500 por mes. Ou seja: 10% (em valor absoluto) de o que ganha um juiz aqui. A causa dos problemos economicos do pais estão ai: só impostos altos (40% do PIB) sustentam isso, asfixiando a economia. Isso precisa mudar!
 
Marcos da Silva em 31/07/2012 04:02:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions