ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 17º

Manoel Afonso

PL na moita, a fadiga tucana, fake news, a apatia petista

Por Manoel Afonso | 10/05/2024 09:11

FADIGA: Em nível nacional, o PSDB vem se arrastando com dificuldades, pelos resultados ruins nas últimas eleições e envelhecimento de suas lideranças. Aécio Neves  é um exemplo: desgastado, perdeu o prestígio. Nosso estado se salvou da sequência dos desastres eleitorais, mas não tem o poder de fogo no cenário nacional.

FUTURO: Observadores acreditam que o PSDB sofrerá o processo de esvaziamento como já ocorrera com outros partidos fortes no passado. A criação das ‘federações’ partidárias também acabará influenciando nestas mudanças daqui para frente. Várias lideranças estaduais já aderiram a essa tendência, que aumentará após as eleições.

AZAMBUJA: Nosso ex-governador tem se mostrado um leão incansável na tarefa de manter os companheiros tucanos motivados para a sucessão municipal. Pré-candidato ao senado, precisa eleger o maior número de prefeitos e vereadores. Em termos de partido Reinaldo faz a sua parte, mas consciente de que até 2026 a estrada é sinuosa.

PROBLEMAS: A postura das lideranças tucanas nos últimos anos mostrou que o PSDB não tem o cacoete de oposição e daí perdeu simpatizantes do centro para os partidos de direita. O discurso social democrata inspirado no alemão Max Weber e repercutido por Fernando H. Cardoso foi sufocado pelas novos apelos mundiais.

CAPITAL: Vencer aqui é fundamental para todos partidos. Tem sido o trampolim para lideranças tentarem voos mais altos, mas também liquidou políticos de peso. Como eu sempre digo; com a internet cada vez mais presente, Campo Grande é forte polo irradiador de influência para o interior. Perdendo aqui ‘um abraço pro gaiteiro’.

INTERROGAÇÃO: Qual o peso da influência do eleitor da direita no pleito da capital? Enquanto não se decide quem será o candidato do PL, é difícil uma avaliação real do potencial do grupo bolsonarista. Aliás, as pesquisas têm deixado uma espécie de vazio sobre esse item. O deputado João Catan (PL) é categórico: vamos ao embate!

NO BRASIL: O ministro Dias Tofoli anulou as provas do acordo de leniência da Odebrecht na Lava Jato. Lembra? Agora a empreiteira se nega a revelar ao Ministério Público Federal os dados do sistema usado em Andorra para pagar a propina confessada no acordo.  Pode? A Odebrecht já reclamou ao ministro amigo e deve ‘sobrar’ algo para o zeloso procurador federal do Paraná.

ÚLTIMA TACADA: 76 anos de idade; 32 como deputado estadual, Maurício Picarelli tentará a vereança na chapa de Rose Modesto. Jornalista, radialista, ficou sem mandato em 2022 e culpou a falta de grana, mas ainda confia nos 4.139 votos obtidos na capital. Usa as redes sociais dando alô aos ‘amigos e comadres’. Consciente da concorrência.

FAKE NEWS: ‘Nunca se mente tanto quanto antes das eleições, nas guerras e após as caçadas’, dizia Otto von Bismark. A inteligência artificial, o uso de aplicativos na produção de vídeos, áudios e textos desafiam a justiça por igualdade de condições para todos os candidatos. Hoje a justiça perde para as evoluções da tecnologia.  Não sei se vira o jogo.

IMPLICAÇÕES: Juridicamente é complicado regular as mídias sociais porque pode ser explorada pela oposição como uma censura mascarada, protetora dos governistas. Os juristas respeitados estão divididos quanto a legalidade da regulação. Para o Governo que defendia no passado a liberdade de expressão, o remédio tem ‘contraindicações’.

ESTRAGOS: Candidatos novatos a vereança pegos de calça curta com a decisão do Google ao proibir o impulsionamento e publicação de anúncios políticos em suas plataformas a partir deste maio. Os partidos também serão prejudicados, mas o prejuízo maior será de quem precisa construir a imagem pública junto ao eleitorado.

VANTAGENS: Enquanto os candidatos a reeleição e aqueles outros já conhecidos do eleitor por uma série de circunstâncias e fatores na comunidade levarão vantagem, os novatos terão que usar outras estratégias como reuniões comunitárias, panfletagem e uso de outras plataformas digitais para expor seu potencial e projetos legislativos.

VEREADOR: Quem souber levante a mão: ‘em quem o leitor votou na última eleição e qual era o partido dele? ’ Não por acaso, assusta em todas as pesquisas, o número de eleitores que ainda não escolheram seu nome preferido. Como se diz – vereador não é essencial – é comparável ao valor da gelatina na cadeia alimentar. Não faz falta.

GIROTO: O ex-secretário estadual de Obras na mídia por 2 motivos: para indicar novo advogado numa das ações que responde na justiça e pelo fato da empresa de seu genro Murilo F. A. Oliveira (‘Groen Engenharia e Meio Ambiente’) ser investigada pela Polícia Federal e Controladoria Geral da União por suspeita de superfaturamento (desvio) de R$ 23 milhões em Três Lagoas.

COMPLICADO: O ato de doar às vítimas gaúchas ganha espaço na mídia. Mas  infelizmente a política (sempre ela!) já está inserida no contexto. São acusações de golpes por falsários, por busca de promoção pessoal, ‘fake news’ e posturas distantes  do real sentido de ajudar. Mas doar, mesmo por vaidade, é infinitamente melhor do que se omitir.

ACOMODADA? Nas redes sociais a militância petista perde espaço para o pessoal da direita. Os petistas, parados no tempo ainda do uso de placas e faixas. Já os adversários, usam as redes sociais, marcam posição com eventos e adesivos nos carros. Lembro: o comício recente de 1º de Maio na Av. Paulista mostrou a fase apática petista.

A PROPÓSITO: A decepção na Paulista mostrou que o Governo e Sindicatos estão distantes do universo do trabalho. O presidente Lula chiou com o vazio da avenida, apesar de 9 ministros presentes, de ter renovado as promessas e enaltecido as conquistas do  Governo. A TV ‘Plim Plim’ ignorou, enquanto a oposição criticou surfando nas redes sociais.

SUGESTÃO: Fato estranho ou deselegante que se repete na Assembleia Legislativa. Convidados da Casa ou de algum deputado ocupam a tribuna para discorrer sobre temas de interesse. Mas curiosamente o tempo concedido aos convidados é no final das sessões, quando quase todos os parlamentares já deixaram o plenário. Evidente, os convidados não reclamam, mas não devem gostar.

VERDADES: “.( )..A bomba climática que devastou o sul do Brasil revela a limitação, dos estados e do governo federal para lidarem com um problema que é planetário. Quanto custa reconstruir um estado? De quem é o dinheiro e a responsabilidade para pagar esse prejuízo? ( ) “Ninguém consegue mais amenizar nem resolver um estrago desse porte. Negócios feitos nas bolsas de Nova York ou Tokio acabam afetando, bem ou mal, a vida de pessoas comuns, desde Paris até Lajeado”. (Felipe Sampaio)

PILULAS DIGITAIS:

Quem deseja ver o arco-íris, precisa aprender a gostar da chuva. (Paulo Coelho)

100% dos brasileiros apoiam a liberdade de expressão – desde que seja a favor. (na internet)

Eu não vou parar. Estou apenas começando. O melhor está por vir. (ex-senador Pedro Chaves – 83 anos)

De vez em quando caímos em dúvida, mas logo conhecemos alguém que restabelece nossa desconfiança no ser humano. (Millôr)

Câmara Federal torrou R$ 90 mil para 5 deputados passarem o 1º de maio em Cuba. (internet)

PGR (Lava Jato) é contra devolver US$ 21 milhões (propinas na Suiça) ao marqueteiro João Santana. (internet)

Eu tenho uma porção de coisas grandes prá conquistar e eu não posso ficar aí parado.  (Raul Seixas)


Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do portal. A publicação tem como propósito estimular o debate e provocar a reflexão sobre os problemas brasileiros

Nos siga no Google Notícias