ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 20º

Leroy Merlin

Casa modular pode ficar pronta em 3 meses, gasta menos e é sustentável

Arquitetura que parece "gringa" pode ser feita aqui, com todos os materiais à venda na Leroy Merlin

Por Paula Maciulevicius Brasil | 15/06/2020 07:59
Confira a Galeria de Imagens:
Imagem é do projeto de Duda Porto, de uma casa modular, para a Casa Cor SP 2019. (Foto: Denilson Machado)
Imagem é do projeto de Duda Porto, de uma casa modular, para a Casa Cor SP 2019. (Foto: Denilson Machado)

Uma arquitetura diferente, fora da caixa, moderna e ainda sustentável. São inúmeras vantagens para quem escolhe erguer uma casa usando a arquitetura modular, que como o próprio nome diz, é feita em módulos, e promete, além de gastar menos, ficar pronta bem mais rápido.

Na Capital, a arquiteta Janaína Peserico terminou recentemente uma especialização em arquitetura modular e já tem projetos encaminhados para a construção de sedes de fazenda dentro do modelo, além de uma casa modular que ficará no estacionamento da loja Leroy Merlin, para visitação.

"A construção modular, na verdade, são módulos que se encaixam, feitos de estrutura metálica com fechamento e preenchimento de paredes de lã com steel frame, e são super rápidos de construir. Uma casa de 200m², por exemplo, que levaria um ano no sistema de construção convencional, em quatro meses você pode ter ela pronta na arquitetura modular", compara.

Dentro da arquitetura modular, além das vantagens de rapidez da construção está a plasticidade e o design. (Foto: Denilson Machado)
Dentro da arquitetura modular, além das vantagens de rapidez da construção está a plasticidade e o design. (Foto: Denilson Machado)

Comprovadamente, Janaína sustenta que uma casa assim ainda é 40% mais eficiente acusticamente e termicamente. Mundo afora, as construções com tijolo e cimento, tão enraizadas por aqui, já quase não existem. "Porque eles sabem que esse tipo de construção seca é muito mais eficiente, sem contar que é mais barata, não produz lixo, é sustentável".

Projeto - O ponto de partida para uma construção modular, seja uma casa inteira ou apenas uma varanda, está na estrutura metálica reforçada, revestida por paredes em steel frame, que envolve toda uma malha de aço galvanizado por dentro, e depois vem os preenchimentos que podem ser com lãs de vidro, de pet e de rocha, tudo material sustentável vindo de reciclagem.

"A gente vai fazer um projeto com o DNA modular, então sabemos que uma barra de ferro tem 6 metros, por que vou projetar com 6,20 metros? Eu sigo para não haver desperdício de material. Uma placa cimentícia, por exemplo, tem 2,40 x 1,20m, então vou colocar certinho. Tudo é pensado para não desperdiçar", enfatiza Janaina.

Além de saber que todos os produtos para a construção modular foram aproveitados, sem desperdício, o cliente vê a construção ser erguida rapidamente e sem furo orçamentário. "Na construção convencional você lida com um trabalho artesanal do tijolo sobre tijolo, dentro de um canteiro de obra e muitas vezes feitas por mão de obra desqualificada. Na modular, toda a execução dos módulos é feita dentro de um ambiente controlado e levada quase pronta ao local da obra. É muito ágil e rápido", enfatiza a arquiteta.

Feita em estrutura metálica, casa vai sendo revestida em módulos. (Foto: Denilson Machado)
Feita em estrutura metálica, casa vai sendo revestida em módulos. (Foto: Denilson Machado)

No Brasil já existem fábricas de construção modular e a mão de obra é mais do que a especializada. "Praticamente todos os serviços nesse tipo de construção é de montagem, a gente nem costuma falar canteiro de obras na arquitetura modular, é canteiro de montagem", diferencia Janaina.

Os únicos pontos semelhantes a uma construção convencional estão na parte hidráulica, elétrica e de encanamentos, além da fundação, mas ainda com uma grande vantagem. Como os materiais não pesam como tijolo e cimento, a arquiteta ressalta que ainda há uma economia na fundação.

"Neste momento de covid-19 e pós-pandemia, vamos ter que pensar muito mais na sustentabilidade e na eficiência das construções. Essa coisa de tijolo, de cimento, geração de lixo e grande gasto de recursos naturais como água na construção tem que acabar", acredita a arquiteta.

Todo o material apontado pela arquiteta no projeto, como estrutura metálica, lã de pet, de rocha e de vidro, gesso acartonado e placa comentícia, é encontrado na Capital na loja da Leroy Merlin.

Acabamento - Janaina ainda ressalta que a depender do revestimento escolhido, a construção fica semelhante, visualmente falando, a alvenaria. "Agora vamos supor que você não queira, então pode deixar a placa cimentícia mesmo, fica com cara de cimento queimado e fica lindo", comenta.

Um dos modelos que ela mostra é da Escola Dinâmica, localizada em Florianópolis, Santa Catarina, que teve seus 2 mil m² construídos dentro da arquitetura modular durante um período de férias. "Ela é toda em estrutura metálica, esses fechamentos deixaram com aparência de concreto armado", descreve.

Escola Dinâmica, construída em três meses pela arquitetura modular.
Escola Dinâmica, construída em três meses pela arquitetura modular.

Para uma construção assim, a arquiteta fala que não tem um perfil de público, pode ser uma família grande, ou mesmo um espaço para uma única pessoa morar, mas com um ponto muito importante, a plasticidade. "Você consegue fazer projetos inovadores e plasticamente belos. Aquela coisa do design, de não ficar mais do mesmo, de ter a arquitetura como produto de design assinado".

Veja abaixo algumas inspirações:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias